segunda-feira, agosto 12, 2013

Como evitar o aborto espontâneo


Também conhecido como aborto espontâneo, aborto é a complicação mais freqüente encontrado durante o início da gravidez e é a interrupção não desejada  da gravidez. As chances de Aborto  espontâneo, são maiores   durante as primeiras doze semanas de gestação e é responsável pelo fim de 20% de todas as gestações. 



Suas escolhas são importantes 

Fumo, álcool e cafeína,  são fatores que trazem grande risco e que impedem o desenvolvimento adequado do feto. Por exemplo, o tabagismo ativo ( fumante)ou passivo (respira a fumaça do fumante)pode causar distúrbios cromossômicos, devido ao fato de que el reduz a quantidade de oxigênio que vai para o bebê. Qualquer quantidade de álcool pode causar mal formações fetais e também síndrome alcoólica fetal (SAF), o que poderia levar ao aborto.

Indicação : Evitar toda e qualquer substância nociva já durante os treinos.

Leia também: Sangramento na gravidez: Principais causas para os sangramentos no primeiro trimestre de gravidez

Sua condição de Saúde 

Problemas  médicos  anteriores  podem causar aborto por causa de fatores hormonais ou genéticos . As mulheres grávidas que sofrem de doenças crônicas, como diabetes não controlada, hipotireoidismo grave e hipertensão são mais propensos a enfrentar a perda da gravidez. Diabetes gestacional (diabetes durante a gravidez) precisa ser devidamente controlada de modo a evitar mais complicações. 

Outros fatores que apresentam um risco aumentado de aborto incluem a pré-eclâmpsia (pressão arterial elevada) durante a gravidez, afetando tanto a mãe como o feto, doenças autoimunes que causam anomalias genéticas no feto, rubéola e infecções por clamídia sexualmente transmissíveis. Síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um importante fator de risco que leva a cerca de 30% das gestações sejam perdidas.

Indicação: é importante um check - up antes das tentativas para engravidar, prevenção ainda é o melhor remédio contra o aborto espontâneo.

Peso Adequado

Para evitar o aborto espontâneo, as mulheres grávidas devem, idealmente, ter um peso equilibrado, porque estar abaixo do peso ou com sobrepeso são fatores de risco para o aumento da probabilidade de aborto espontâneo, devia aos distúrbios hormonais que tais condições podem causar.

Indicação: Nem tanto ao céu nem tanto ao mar, para ser de fato saudável é necessário  equilíbrio. 

Contato com toxinas

A exposição a produtos químicos tóxicos ambientais e ingestão de medicamentos nocivos (barbitúricos, antidepressivos, alguns antibióticos), que são contra-indicados durante a gravidez também  podem levar ao aumento do risco de aborto.

Indicação: Mesmo antes de engravidar , converse com seu médico sobre o uso de qualquer  medicamento de uso contínuo

Pouco Ácido fólico e deficiência de progesterona

Baixos níveis de ácido fólico e deficiência de progesterona , especialmente durante o primeiro trimestre, quando o aborto espontâneo é mais comum, também são fatores de risco. Perda da gravidez precoce (gravidez química) pode ser prevenida, completando a dieta da mãe com vitamina do complexo B, incluindo ácido fólico , o que diminui muito o risco de defeitos do tubo neural no feto e ajuda no desenvolvimento fetal. Reposição hormonal com progesterona também é indicado.

Indicação: O ácido fólico é a mais importante vitamina para quem decide engravidar. Comece a tomar 3 meses antes de liberar os treinos para engravidar e continue tomando sem interrupções , até as 12 semanas de gestação.

Exercícios Físicos e Idade materna

O risco de aborto espontâneo aumenta com a idade da mãe. Além disso, a utilização do dispositivo intra-uterino (DIU), durante a concepção e exercício excessivo são também factores de risco comuns.

Indicação : Tudo em excesso atrapalha, e não é diferente com os exercícios físicos. Infelizmente mulheres com mais de 40 anos , tem uma chance maior de sofrer aborto, por isso redobre dos cuidados.

Estresse

Estresse é um dos fatores de risco que podem levar ao aborto espontâneo.


O pré-natal é fundamental para a mulher grávida, de modo a prevenir as complicações fetais, como aborto e gravidez ectópica. Durante os dois primeiros trimestres, consultas médicas devem ser feitos para se certificar de tudo está em ordem, uma vez por mês. 

O primeiro sintoma de um possível aborto é o  sangrando, o que sinaliza a necessidade de procurar um médico.  O risco de  aborto recorrente, inclui anormalidades uterinas e ovarianas, doenças endócrinas e cromossômicas, imunológicas e fatores de estilo de vida.


Identificar a causa de um aborto pode ajudar a evitar tais complicações infelizes em gestações futuras.

Pé no chão e esperança no coração !

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário