quarta-feira, novembro 30, 2016

Gestação e HIV: Tratamento para não contaminar o bebê


  • Antes de engravidar é importante que o casal faça o teste para comprovar que está livre do HIV, controlar o vírus em caso de soropositivo e tomar medidas para evitar a transmissão aos descendentes.

Todos anos há mais de três décadas o dia primeiro de dezembro é mundialmente conhecido como o dia de luta contra a AIDS. Esta ação ajudou e continua ajudando na conscientização para evitar e também conter uma das grandes epidemias dos tempos modernos.

AIDS não é coisa do passado, em 2015 no Brasil 81 mil pessoas iniciaram o tratamento com antirretrovirais pelo SUS, um crescimento de 13% com relação ao ano anterior. Graças a este medicamento, os portadores do HIV podem ter qualidade de vida.

Os soropositivos também podem ter uma vida plena com filhos livres do vírus do HIV através de técnicas de reprodução humana disponíveis há mais de 10 anos, no entanto muita gente ainda não sabe.

Esta possibilidade existe graças aos avanços na área de reprodução humana, que unido aos progressos e conquistas de qualidade de vida para os portadores do HIV, permitiram que as técnicas de medicina reprodutiva sejam aplicadas para evitar a contaminação do HIV aos seus filhos.

Como o homem evita a transmissão do HIV aos descendentes?

Para evitar a transmissão do HIV aos descendentes é possível engravidar através da técnica de lavagem de sêmen e posterior introdução do espermatozoide diretamente no óvulo utilizando a técnica ICSI. O tratamento completo exige a Fertilização in vitro. 

“Os tratamentos antirretrovirais junto com as técnicas de reprodução humana permitem que casais onde o homem é portador do vírus da AIDS, possam realizar o sonho de ter filhos de forma segura. A lavagem de sêmen confirmada mediante técnicas de biologia molecular de alta sensibilidade é um protocolo ótimo para evitar o contágio”, explica Drª. Genevieve Coelho, diretora da IVI Salvador.

Como a mulher evita a transmissão do HIV aos descendentes?

No caso da mulher soropositiva, caso o parceiro não seja portador, é preciso realizar a Inseminação Artificial, que é um tratamento mais acessível por ser de baixa complexidade. O seguinte passo é um pré-natal bem controlado, mas parecido com um pré-natal de qualquer gestante. Com a diferença que é preciso ter um controle imunológico detalhado, além de manter a tratamento de antirretrovirais em dia. 

“Parecia impossível evitar as doenças transmissíveis aos descendentes, mas hoje podemos fazer isso, e não apenas para casos de HIV, também podemos evitar doenças genéticas hereditárias, por exemplo”, afirma Drª Genevieve e conclui, “as clínicas de reprodução humana são mais que centros médicos para casais com infertilidade, quando bem equipadas e atualizadas, podem cuidar da saúde dos futuros descendentes evitando doenças que uma vez manifestadas não têm cura”.
 
HIV hoje em dia
Atualmente a epidemia do HIV no Brasil está estabilizada com uma taxa de detecção de cerca de 20 casos para cada 100 mil habitantes. A cifra representa cerca de 40 mil casos novos ao ano. Desde o início da epidemia de AIDS no Brasil – em 1980 –, até junho de 2015, foram registrados no país 798.366 casos de AIDS.

Internacionalmente, segundo dados do programa de luta contra a AIDS das Nações Unidas, aproximadamente 36,7 milhões de personas eram portadoras do vírus HIV em 2015. Uma taxa elevada, mas que reduziu 35% quando comparada com os dados do ano 2000, além de uma redução de mortes por causa da AIDS de 42%.  Do total de portadores, estima-se que 18 milhões têm acesso ao tratamento antirretroviral, um dado que precisa melhorar, porém é 84% superior ao acesso que existia no ano 2010.
 
Onde fazer o teste do HIV grátis
Procure a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais perto de você para fazer de forma gratuita o teste que detecta o vírus da AIDS.
 
Sobre o IVI
Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 60 clínicas em 11 países, incluindo Brasil, e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.
Compartilhar:

segunda-feira, novembro 28, 2016

Lubrificante amigável:5 Opções naturais e caseiras para engravidar

lubrificante para engravidar

A lubrificação íntima pode ser um problema importante nas tentativas para engravidar. Lubrificantes amigáveis , que não matam os espermatozoides, são as melhores opções para o período fértil.

Se você está tentando engravidar há algum tempo, já deve ter percebido que nem sempre as coisas são simples e rápidas. 

Mudanças hormonais repentinas, pequenas infecções corriqueiras, alimentação que você sequer sabia que era inadequada, acidez de vaginal e até a lubrificação pobre ou inadequada podem diminuir as chances de engravidar. 

Algumas mulheres apresentam dificuldades na produção de muco cervical e como a vagina é um ambiente natural ácido e hostil, a receptividade aos espermatozoides não é adequada. Sem a receptividade adequada, os espermatozoides tem mais dificuldade de chegar as trompas. A maioria deles acaba morrendo antes mesmo de chegar ao útero. 

Lubrificantes normais, mesmo os a base de água, contém substâncias que prejudicam e podem matar os espermatozoides. Por isso seu uso é desaconselhável durante o período fértil. Nos demais dias do ciclo podem ser usados sem qualquer problema.

A solução para driblar essa questão e obter lubrificação que deixe a relação mais prazerosa sem trazer danos aos espermatozoides é abusar das dicas para aumentar a produção de muco cervical do período fértil  e utilizar lubrificantes amigáveis. No entanto, infelizmente, ainda não temos uma marca nacional,  por isso a compra ou tem de ser feita nos sites de fora onde o preço é melhor mas tem encargos e demora para entregar, ou em sites brasileiros onde os valores são mais salgados. 

Mas nem tudo está perdido, existem bons lubrificantes amigáveis naturais que podem chegar a custar 80% menos que o lubrificante amigável de marca famosa. 

1. Óleo de Canola


É um óleo seguro para os espermatozoides, naturalmente absorvido pelo corpo e não causa infecções.
Pode ser considerado um lubrificante amigável.
Isso é o que afirma o Dr Harry Fisch, MD.  Dr. Fisch é  diretor do Centro de Reprodução Masculina no New York City.É urologista e microcirurgião certificado.

2. Clara de Ovo


O muco cervical do período fértil e comparado a clara de ovo e isso não é a toa. A clara de ovo contém a consistência e propriedades adequadas para ajudar a preservação e locomoção dos espermatozoides, além de funcionar muito bem como lubrificante íntimo.

Mas eu aconselho que você leia o artigo abaixo  antes de utilizar essa dica para lubrificação.


3.Azeite de Oliva


O azeite de oliva é  outro óleo amigável que ajuda a equilibrar o ph e auxilia os espermatozoides em seu percurso. 

4. Óleo de Coco


Além de ser um excelente lubrificante íntimo e amigo do esperma, tem ação antifúngica e ajuda a manter a saúde vaginal.

5. Óleo de Amêndoa 


Facilmente absorvido pelo corpo, seguro a recepção dos espermatozoides e sem possibilidade de causar infecção, o óleo de amêndoa é mais uma opção de lubrificação barata e segura para mulheres que desejam engravidar.

Existem outras opções seguras ao espermatozoide, são elas:

Gel de Aloe  Vera
Vitamina E em óleo
Óleo de linhaça
Óleos Essenciais

Existe uma marca de lubrificante íntimo que embora não traga benefícios a concepção, não mata os espermatozoides e auxilia a mulher a tem pouca ou nenhuma lubrificação, proporcionando mais conforto a relação. O Lubrigel pode ser encontrado por pouco mais de 8 reais na Ultrafarma.

Antes de utilizar qualquer recurso converse com seu médico. De repente ele sabe de algo que nós desconhecemos, certo?!

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 

Fonte: storkotc.com
hehealthyhoneys.com
Dr Oz

Compartilhar:

segunda-feira, novembro 21, 2016

4 Dicas para engravidar naturalmente nunca antes reveladas


Quando se tentar engravidar por um longo tempo, todas as principais dicas para engravidar já não são mais novidade e a maioria delas, se não todas já tentadas, não trazem mais qualquer benefício ou melhores resultados. 

Passamos a nos perguntar porque as coisas funcionam com todas, mas nunca trazem resultados para nossa própria realidade. A resposta pode estar nas necessidades mais específicas do seu corpo, do seu organismo.

Grande parte do insucesso das tentativas para engravidar são provenientes de problemas com a fase lútea. Mesmo quando ela não é demasiado curta, ela pode ainda assim  ser deficiente.

Muito se fala dos tais 70% de abortos ovulares que acontecem nos ciclos de uma mulher que tenta engravidar, mas pouca ou nenhuma solução é apresentada efetivamente para solucionar essa questão. 

Quando nenhuma causa para infertilidade é encontrada, diz -se que o casal sofre de ESCA ( Esterilidade sem causa aparente). Estima-se que a ESCA seja a responsável pela infertilidade de 10 a 15% dos casais que não conseguem engravidar. No entanto alguns médicos não acreditam nessa ausência de diagnóstico concreto e muitos atribuem a infertilidade à problemas desconhecidos da fase lútea.

Problemas na fase lútea atrapalham, interferem e muitas vezes impossibilitam a implantação do embrião no endométrio.
Sem o estímulo correto do endométrio o útero não apresenta condições necessárias e ideais para a fixação e desenvolvimento do embrião. Dito isso, vamos as quatro mais importantes dicas para engravidar que nunca ninguém te deu.

Dica 1 - Ajude seu fígado a inativar o excesso de estrogênio

A grande causa para a deficiência de progesterona é o elevado nível de estrogênio ou predominância estrogênica. Para que os níveis de progesterona subam e desempenhem seu papel de forma correta, é necessário garantir que o estrogênio seja controlado pelo organismo.

Nesse processo é importante garantir que não haja escassez de vitamina B, principalmente a vitamina B6 e que ela atue em colaboração com o magnésio e o zinco.

A suplementação vitamínica desses elementos pode ser realizada separadamente, ou em suplementos que combinem essas e outras vitaminas e minerais.

Dica 2 - Magnésio transdérmico       

Sofremos nos dias atuais de uma significativa deficiência de magnésio devido ao solo pobre e a falta de quantidade adequada de minerais na água que bebemos. No entanto o magnésio é essencial na produção de progesterona. 

A maneira mais eficaz de fazer a reposição de magnésio no organismo é através da pele. Por via transdérmica o magnésio é melhor absorvido pelo organismo e se torna mais eficiente que na forma oral.

Você mesmo pode fazer o seu óleo de magnésio que na verdade não é um óleo de fato. Ele é assim chamado por, em contato com a pele, promover sensação de oleosidade.

Um número de 6 a 12 borrifadas diárias é o suficiente para favorecer a produção de progesterona.


Dica 3 -Reduzir o uso e consumo de Fitoestrógenos e Xenoestrógenos

Respirou aliviada porque tem certeza que não consome fitos e xenos? Então você não deve usar shampoo, maquiagem, desodorantes, sabonetes, loções para o corpo, potes plásticos, produtos para pele e nada que contenha soja, certo? 

Para que os níveis estrogênicos não se elevem demais e diminuam a produção de progesterona, o uso de tais produtos deve ser limitado.

Se informa sobre o método no-poo para cuidar dos cabelos, utilize sabonetes naturais, dê preferência a potes de vidro e até aprenda a fazer seu próprio desodorante. Essas são algumas medidas simples e possíveis que podem trazer benefícios incalculáveis a sua saúde.


Dica 4- Suplementação de Iodo (Lugol)

Segundo A OMS, 70% de nós brasileiros temos deficiência de Iodo, mineral esse essencial para nossa saúde. O Iodo é um Mineral importante para a formação dos hormônios T3 e T4 e é igualmente importante para equilibrar o estrogênio no organismo entre outras coisas.

Uma publicação da revista The Lancet, uma das mais importantes na área médica, afirmou que o Iodo que é principalmente encontrado nas mamas,  útero e ovários, quando em baixa no organismo, aumenta as chances  de câncer de mama, endométrio e ovários. Isso acontece devido a deficiência de Iodo estar diretamente ligada ao aumento do estrogênio no organismo da mulher. 

A deficiência de Iodo parece estar associada ao desequilíbrio entre o Estradiol, Estriol e Estrona. Os três são estrogênios, no entanto o Estriol é um hormônio protetivo contra os desequilíbrios da progesterona e do desenvolvimento de células cancerígenas. A baixa quantidade de Iodo no organismo diminui o Estriol e aumenta a quantidade de Estradiol e Estrona, provocando assim  alguns distúrbios na fase lútea e maiores chances de câncer.

Duas gotas diárias de Lugol a 5% são suficientes para realizar a suplementação De Iodo. Porém essa suplementação não deve ser feita sem acompanhamento médico, pois pode trazer alguns riscos à saúde. Principalmente se houver deficiência de selênio e ou intoxicação com metais pesados como mercúrio, chumbo, bromo, cloro ou flúor. 

Embora na internet seja possível encontrar dicas de testes para descobrir se a suplementação de Iodo é necessária, o Dr Gabriel Azzini alerta sobre a necessidade de realizar um teste de carregamento de Iodo com acompanhamento médico. 

Após a ingestão de uma dose de Iodo, observa-se na urina a quantidade excretada, se menor que 90%, a suplementação de Iodo se faz necessária.

Creme de progesterona para engravidar 

Por fim, uma dica já conhecida, talvez não por todas, mas imensamente útil, é a utilização de progesterona creme (transdérmica). A progesterona assim como o magnésio é melhor absorvida no organismo através da pele. Só fique atenta ao realizar sua compra pois infelizmente, alguns cremes de progesterona contém xenoestrógenos.

Siga a orientação médica para utilizar a progesterona. Quando utilizada no momento errado pode impedir a ovulação e desregular o ciclo menstrual.

Aliada a todos essas dicas, vale lembrar que é muito importante ingerir muita água. São necessários no minimo 2 litros diários de água para que seus órgãos, inclusive os envolvidos no sistema reprodutor, estejam devidamente lubrificados e preparados para o seu trabalho.

Nunca faça uso de qualquer medicamentos em orientação do seu médico.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Fonte: Dr Grabriel Azzini
óleos para tudo
Marylin Shannon

Compartilhar:

terça-feira, novembro 08, 2016

Teste de gravidez caseiro- 6 testes simples e rápidos


Quando a dúvida bate, a ansiedade toma conta e queremos que a resposta seja imediata. Afinal uma gravidez pode mudar toda à sua vida. Testes de gravidez caseiros podem ser a chave, a solução para os seus problemas

Como nem sempre o dinheiro está na mão para realizar um teste de gravidez seguro e confiável, o que resta é tentar um teste de gravidez caseiro que com sorte, pode acertar no resultado. 
Compartilhar:

sábado, novembro 05, 2016

Sexo do bebê- Com quantas semanas é possível descobrir o sexo do bebê


Alguns casais optam por não saber o sexo do bebê antes do nascimento, mas a grande maioria é unânime em dizer que desvendar esse mistério é uma necessidade. A prova disso é o número crescente de chás revelação que acompanhamos todos os dias. No fim, essa é uma decisão que compete apenas e tão somente ao casal.
Compartilhar: