quarta-feira, agosto 17, 2016

Laqueadura: Engravidar após laqueadura ficou mais fácil

alternativa para engravidar após a laqueadura

  • Mulheres laqueadas com menos de 35 anos que querem engravidar novamente podem ter parte do seu tratamento de Fertilização in vitro pago pela receptora de óvulos
Engravidar após a laqueadura ficou mais fácil para mulheres com menos de 35 anos através da doação compartilhada de óvulos. Com este recurso permitido pelo Conselho Federal de Medicina de acordo com a norma CFM2121/2015, mulheres que queiram ser doadoras de óvulos e precisem de tratamento de reprodução humana para engravidar, poderão ter parte do seu tratamento pago pela receptora de óvulos.

No entanto, não são todas as mulheres com menos de 35 anos que podem ser doadoras, pois para doar é necessário ter uma saúde ovariana perfeita e também não ter problemas de saúde ou doenças hereditárias. Os requisitos do programa através da clínica IVI Salvador são:

- Ter menos de 35 anos
- Não ser portadora de endometriose
- Não ter antecedentes médicos próprios e familiares graves 
- Não ter doenças genéticas ou sexualmente transmissíveis
- Que o motivo que precise de tratamento de reprodução humana não esteja relacionado com sua saúde ovariana, ou seja, com seus óvulos.
- Não ter sido contagiada pelo Zika Vírus

Dr. Agnaldo Viana, coordenador do programa IVIDOA, de doação compartilhada e ginecologista especialista em reprodução assistida do IVI Salvador, explica que além de uma avaliação física, também são avaliados aspectos psicológicos da doadora, que caso for casada, precisará também do consentimento de seu parceiro para doar óvulos.
 

A reversão da laqueadura poderia ser uma opção para engravidar naturalmente?

A laqueadura é uma cirurgia de fechamento das trompas realizada para impedir a passagem do óvulo pelas trompas e seu encontro com os espermatozoides. Este procedimento é adotado quando a mulher não tem intenção de engravidar novamente, pois sua reversão tem um baixo prognóstico de restabelecimento da fertilidade, além dos riscos associados a uma nova cirurgia.

Para realizar a reversão da laqueadura é preciso passar por um procedimento cirúrgico e que as trompas cicatrizem corretamente permitindo o encontro entre o óvulo e o espermatozoide. Uma má cicatrização após cirurgia pode impedir a gravidez ou ainda levar a uma gravidez tubária, que é um grande risco para a saúde da mulher. Por isso, a Fertilização in Vitro tem sido a opção principal de tratamento para mulheres que desejam engravidar após a laqueadura.

“Como na Fertilização in Vitro a fecundação do óvulo acontece no laboratório, seu sucesso não depende das condições tubárias, é mais segura para a mãe e para o bebê, além de ser estatisticamente mais efetiva” explica Dr. Agnaldo.
 
Para mulheres que vivem em Salvador ou proximidades e estão interessadas em candidatar-se para doar óvulos, as inscrições do programa de doação compartilhada do IVI Salvador são feitas exclusivamente on-line no site: ivi.net.br/doadoras-de-ovulos/

Sobre o IVI 
Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 50 clínicas em 11 países, incluindo Brasil, e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.
Compartilhar:

sexta-feira, julho 22, 2016

Como engravidar: 7 causas comuns que podem impedir a gravidez de acontecer


Está tentando engravidar e ainda não obteve sucesso? Saiba que você não está sozinha. Existem muitas mulheres e homens que enfrentam dificuldades semelhantes, problemas que eventualmente  ocorrem e atrasam a gravidez. No entanto, é importante ter em mente que o avanço da medicina é um grande aliado, e existem diversos meios para que um casal consiga alcançar seu objetivo.

Você se pergunta ciclo após ciclo porque a gravidez ainda não aconteceu? As razões que impedem uma gravidez são as mais variadas mas listamos aqui 7 das mais comuns para te ajudar a entender o que pode estar acontecendo com você.


1. Falta ou excesso de treino:


Além de uma necessidade básica do ser humano, as relações sexuais regulares são essenciais para que a gravidez aconteça. 
No entanto o excesso de atividade pode dificultar a gravidez tanto quanto a falta dessa rotina entre o casal.

É importante ter vida sexual adequada e saudável, focando com mais atenção nos dias mais férteis do ciclo.
Se tem dificuldade em saber qual o seu período mais fértil do ciclo, utilize as calculadores de ovulação disponíveis em alguns sites ou mesmo algum dos inúmeros apps disponíveis para celular.

Se o seu ciclo é irregular, é realmente mais difícil encontrar os dias mais favoráveis a gravidez, nesse caso, mantenha uma rotina de no mínimo 3 relações semanais em dias alternados.
Se você e o seu parceiro gostam de praticar o esporte com mais frequência, não existe problemas nisso, mas durante o período fértil o ideal é que seja feito pelo menos 1 dia de intervalo entre as relações sexuais para que os espermatozoides tenham tempo de amadurecer .

2. Estresse um dos maiores inimigos do positivo


Um pouco de estresse é normal na vida de qualquer casal, mas se você anda irritada com mais frequência do que gostaria, tenha certeza que existe um sinal amarelo acesso aí.

Um estudo realizado pelo jornal Human Production, revelou que mulheres com níveis elevados de enzima alfa amilase(um dos indicadores biológicos do stress encontrado na saliva) tem uma diminuição de 29% de chances de engravidar  a cada ciclo e o dobro de chances e ser considerada infértil.

 3. Não corra para o banheiro


Muitas mulheres tendem a correr para o banheiro logo após o sexo para se  lavar ou apenas para um xixi básico. Essa atitude não facilita em anda a gravidade, muito pelo contrário. O ideal é que você se mantenha deitada por pelo menos 15 minutos. Se possível eleve o bumbum com alguns travesseiros para dar uma forcinha a gravidade e ajudar a mãe natureza cumprir o seu papel.

4. Álcool e Fumo não


Às vezes, fumar e beber pode reduzir as chances de engravidar. Ambos os hábitos viciantes têm a capacidade de reduzir as chances de engravidar por afetar o sistema reprodutivo. Para aumentar as chances de engravidar, pare com o fumo e diminua consideravelmente o álcool ingerido.

5. Nada de roupas apertadas


Homens e mulheres devem evitar roupas apertadas. Nas mulheres os efeitos surtem na oxigenação do corpo devido a dificuldade de respirar que por ventura surja. Já nos homens o efeito pode ser ainda mais preocupante. Manter os testículos apertados ou pressionados pode afetar a produção  e qualidade do esperma.

Dê preferência a  roupas íntimas de algodão para evitar qualquer tipo de infecção, reduzir problemas de transpiração e afins. Os homens devem seguir a mesma orientação  para que os espermatozoides não sejam afetados.

6. Não se  exercite demais?


Manter o peso em dia é fundamental para saúde reprodutiva. O excesso ou mesmo o baixo peso podem afetar negativamente a fertilidade principalmente das mulheres. No entanto, manter uma rotina pesada de exercícios pode trazer descontroles hormonais que por sua vez atrapalharão os ciclos menstruais causando na maioria dos casos amenorreia e falta de ovulação.

Muitas mulheres começam a se exercitar para afastar a ansiedade e o estresse provocado pelas tentativas de engravidar mas acabam exagerando na dose numa tentativa de compensação desesperada.

7. Condições médicas:


Algumas condições médicas podem ser motivo de infertilidade mesmo que pontual. As mais comuns são:


  • Problemas na tireoide
  • Ovários policísticos
  • Baixos níveis de progesterona
  • Baixos níveis de estradiol
  • Clamídia
  • Inflamações pélvicas
  • Bloqueios ou aderências nas trompas
  • Problemas com o muco cervical
  • Endometriose
  • Miomas

O tratamento para cada questão deverá ser indicado pelo médico. A eficácia do tratamento depende de caso em especifico. Algumas mulheres respondem mais rapidamente e outras nem tanto. O importante é seguir as orientações médicas e sempre pensar positivamente.

Pé no chão e esperança no coração!

Tatiana da Costa 
Compartilhar:

segunda-feira, julho 04, 2016

Doação de Óvulos: Solução para impedir que o organismo rejeite óvulos doados

solução para que o organismo não rejeite óvulos doados


SOLUÇÃO PARA QUANDO O SISTEMA IMUNOLÓGICO DA MULHER IMPEDE A GRAVIDEZ COM ÓVULOS DOADOS REDUZ TAXA DE ABORTO EM 85%

  • Estudo realizado pelo IVI e selecionado para o Congresso Europeu de Reprodução Humana obtém como resultado a redução da taxa de aborto de 94% para 8%
  • Para estas pacientes, transferir mais de um embrião no tratamento de reprodução humana, influencia negativamente o prognóstico reprodutivo
HELSINKI, 4 DE JULIO DE 2016

O estudo realizado pelo IVI (Instituto Valenciano de Infertilidade) apresentado hoje no Congresso Europeu de Reprodução Humana demonstra como uma adequada seleção de doadora de óvulos em função de sua compatibilidade genética com o útero da receptora permite reduzir a taxa de aborto e falhas de implantação nos tratamentos de ovodoação em mais de 85%, quando o sistema imunológico da futura mãe está rejeitando o embrião. Esta base científica pode aumentar a taxa de gravidez e reduzir problemas das pacientes relacionados com a hipertensão ou a pré-eclâmpsia.

“Comprovamos com a investigação que ao selecionar uma doadora compatível com o útero da futura mãe, é possível chegar a uma taxa de gravidez de 86%; um resultado incrível quando comparado à taxa de 31% obtida quando esta informação não era considerada. Com relação aos casos de abortamento, reduzimos de 94% para 8% selecionando geneticamente a doadora pela compatibilidade com o útero das pacientes que participaram do estudo”, explica Dra. Diana Alecsandru, imunologista da clínica de reprodução humana IVI Madri e autora do estudo titulado “Maternal Killer-cell Immunoglobulin-like Receptor (KIR) and fetal HLA-C compatibility in ART- oocyte donor influences live birth rate” junto com Dr. Juan Antonio García Velasco, diretor do IVI Madri.

Por que o útero de certas pacientes rejeita o embrião?


No útero existem células que possuem receptores que são denominados KIR, estes receptores ajudam a reconhecer e implantar o embrião. “A parte materna do embrião (referente ao óvulo) é reconhecida automaticamente por conter informação genética da própria pessoa, enquanto a paterna não, razão pela qual certas pacientes têm dificuldades de obter a gestação, dependendo do seu perfil genético uterino. Os receptores KIR devem encaixar perfeitamentecom a parte paterna e com a materna, quando o óvulo é doado, para não ser interpretado como um elemento estranho”, explica Dra. Genevieve Coelho, especialista em fertilidade e diretora da clínica IVI Salvador, do mesmo grupo de medicina reprodutiva que realizou o estudo.

A pesquisa foi realizada entre janeiro e dezembro de 2015, com uma amostra de 30 mulheres – com repetidas falhas reprodutivas por razão desconhecida – que foram submetidas a um total de 112 ciclos de reprodução humana assistida com óvulos doados. Ao analisar os dados obtidos, foi comprovado que quando ocorria uma incompatibilidade entre a mãe e a parte paterna do embrião, ao escolher uma doadora compatível com a mãe e optar pela transferência de um único embrião (SET - Single Embryo Transfer), a taxa de recém-nascidos vivos por ciclo passou de 0% a 82% na amostra estudada.

Em casos de pacientes com alterações imunológicas, como as participantes do estudo, a transferência de dois ou mais embriões ao útero influência de forma negativa o sucesso reprodutivo. Se além disso, agregamos o uso de óvulos doados, os fragmentos estranhos que o útero precisa assimilar são ainda maiores, aumentando o risco de rejeição do embrião.

O estudo realizado abre uma nova linha de investigação para trabalhos com uma maior amostra, como o que está sendo aplicado atualmente pelo próprio IVI, onde participam 200 pacientes e cujo resultados podem aportar melhorias para a seleção de doadores de sêmen e óvulos através de um processo mais eficiente, seguro e com melhores resultados.

Sobre o IVI 
Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 50 clínicas em 11 países, incluindo Brasil, e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.
Compartilhar:

quarta-feira, junho 29, 2016

Dor de cabeça na gravidez: Que remédios posso tomar na gravidez?


tratamento para dor de cabeça durante a gravidez

Você  deve discutir todos os seus sintomas com seu médico antes de começar tratar por conta própria qualquer condição. Essa conduta garantirá a sua segurança  e a de seu bebê ao longo de toda gravidez.

Quando se está grávida é extremamente importante ter cuidado com as medicações utilizadas. Um problema comum para a grande maioria das gestantes são as dores de cabeça. A cabeça pode doer de forma intensa e a medicação a ser utilizada deve ser bem estudada pelo médico.

É muito importante consultar o médico sobre a medicação utilizada em qualquer condição dolorosa que surja durante a gestação, mas as dores de cabeça merecem atenção especial.

As dores de cabeça durante a gravidez podem surgir devido as alterações hormonais naturais dessa fase ou ainda sinalizarem algo mais grave como aumento da pressão arterial e pré-eclâmpsia. Daí a total necessidade de dar a devida atenção a dores de cabeças frequentes durante a gravidez.

Caso as dores de cabeça sejam provenientes das alterações hormonais naturais da gravidez o médico poderá receitar alguns medicamentos.


Paracetamol


Durante a gravidez a medicação mais comum e mais segura é o paracetamol e medicações desenvolvidas a partir dessa substância. São medicações seguras desde que utilizadas conforme orientação do seu obstetra.

Por outro lado, medicações  como a aspirina ou ibuprofeno  devem ser evitadas e a maioria dos médicos concordam não serem totalmente seguras durante a gravidez.
Em caso de enxaqueca, existem outros medicamentos mais fortes, mas ainda seguros para serem administrados durante a gravidez. Solicite orientação médica caso esse seja o seu problema.

Tratamento Natural para dor de cabeça na gravidez


A melhor maneira de tratar as dores de cabeça durante a gravidez é observar a causa das dores, de onde e porque elas surgem. Comece por olhar para o item que está provocando a sua cabeça. Algumas mulheres desenvolvem dores de cabeça por causa de sua alimentação.

Preste muita atenção a alimentação.  Alimentos  que incluem nitratos e nitritos, adoçantes artificiais ou mesmo alimentos como bananas,  que contenham cafeína, produtos lácteos e peixes defumados podem ser os causadores das dores de cabeça durante a gravidez.

Compressa é uma excelente forma de tratar e diminuir as dores de cabeça. Banhos e compressas frias tendem a apresentar ótimos resultados nas enxaquecas por exemplo. Faças as compressas em local escuro e com pouco barulho para uma melhor eficácia.

Evite ficar mais de 3 horas sem comer. A queda de açúcar no sangue pode provocar dores de cabeça, assim como sede e poucas horas de sono.


Dormir pelo menos 8 horas por noite e se possível tirar um cochilo de 30 minutos durante o dia, pode ajudar a controlar as dores de cabeça.

Outra forma natural de tratar as dores de cabeça na gravidez é massagear com leve pressão os pontos mais doloridos da cabeça. Pressione por 3 segundos e solte. Faça isso em todos os pontos mais doloridos. Repita a ação algumas vezes e perceba o alívio imediato.

Jamais se auto medique principalmente durante a gravidez.

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 
Compartilhar:

terça-feira, junho 28, 2016

Como engravidar: 10 alimentos essenciais para engravidar rapidamente


A primeira e melhor dica de como engravidar rápido na verdade é colocar algumas coisas importantes na cabeça. Embora a gravidez possa sim acontecer logo no primeiro trimestre de tentativas, existe uma grande possibilidade dessa busca levar um pouco mais de tempo. Esteja ciente disso de verdade!

A partir daí você deve dar mais atenção a sua alimentação. Já ouviu aquela frase: “Somos o que comemos”?! Você não quer ser um monte de gordura, açúcar misturado a um monte de componentes químicos e nada saudáveis certo?


Idealmente, a sua dieta deve ser nutritiva e que não colabore para o aumento de peso. Só isso já faria uma grande diferença nas suas tentativas de engravidar, mas uma alimentação saudável pode ser ainda mais útil quando a intenção é gravidez.  

Alguns alimentos, devido principalmente a suas vitaminas, são colaboradores diretos da fertilidade.
Se você quer engravidar rapidamente deve enriquecer sua alimentação com esses  10 alimentos que mencionaremos a seguir.

10 alimentos que não podem faltar no prato de quem deseja engravidar

Aqui está uma lista dos 10 melhores alimentos que devem ajuda-la  a aumentar  sua imunidade e melhorar suas chances de engravidar.

1. Folhas e vegetais verdes escuros


Vegetais folhosos como espinafre, brócolis e outros são comprovadamente alimentos que melhoram a ovulação. São alimentos ricos em antioxidantes, ferro e ácido fólico. Consumir vegetais de folhas verdes regularmente, pode reduzir suas chances de sofrer de anemia e pode também prevenir eventuais defeitos congênitos em seu bebê em desenvolvimento. Além de tudo são alimentos versáteis que podem ser consumidos como salada, cozidos, refogados e etc.

2. Feijão:


O feijão é considerado um dos alimentos mais importantes da dieta da mulher que deseja engravidar rápido. O feijão assim como as lentilhas, grão de bico, feijão preto e feijão de soja são uma rica fonte de fibras, zinco, ácido fólico, proteína e cálcio.

3. Leite:


Estudos recentes descobriram que os produtos lácteos gordos são, provavelmente, um dos melhores alimentos para engravidar. O leite é uma excelente fonte de cálcio, fósforo e vitamina D. Também é crucial para a construção óssea dos bebês. No entanto, seu consumo deve ser limitado. O leite e derivados podem ser consumidos das formas mais variadas.


4. Ovos:


Ovos são altamente ricos em aminoácidos e por isso são grande aliados da fertilidade.
Os aminoácidos são basicamente uma forma de proteína que não só ajuda a aumentar a sua fertilidade, mas também são importantes para a formação dos óvulos. Os ovos podem ser consumidos em omeletes, mexidos, cozidos, no molho, em lanches e etc.

5. Groselha, mirtilo, goji, cranberry, oxicoco, cassis- Bagas 

Bagas são ricas em hidratos de carbono, vitamina C, ácido fólico, potássio, fibras e fluidos. As Bagas atuam na  prevenção de danos e no envelhecimento de células somáticas. Podem ser consumidas em sucos, saladas e com cereais.

6. Alimentos integrais:


Existem muitas informações a respeito dos hidratos de carbono. A farinha branca é comprovadamente inimiga da saúde ovariana.  No entanto, não se deve evitar  os 'carboidratos' completamente. A ideia é consumir mais alimentos integrais como pão integral em vez de pão branco ou arroz. Os hidratos de carbono têm um efeito construtivo sobre os nossos níveis de açúcar no sangue e insulina; e se os níveis de insulina são melhores, os hormônios também se manterão equilibrados melhorando assim a fertilidade.

7. Frutos Secos:


Alguns frutos secos como amêndoas, nozes, pistache são considerados bons para o corpo. As gorduras que eles contêm não são as gorduras trans ou gorduras saturadas, que são prejudiciais para o corpo. Eles são feitos de gorduras mono saturadas, que são necessários para manter os níveis de insulina controlados contribuindo assim para o bom funcionamento dos ovários e aumentando as chances de gravidez. Os frutos secos também são ricos em vitamina E, vitamina fundamental principalmente para a saúde fértil masculina.

8. Salmão:


Você pode ter ouvido o ditado que os peixes não devem ser consumidos durante a tentativa de conceber. É verdade, certos peixes como tubarões, espadarte, cavala e peixe telha são ricos em  mercúrio que permanecem no corpo por cerca de um ano.

Peixes como salmão pode ser consumido enquanto você está tentando engravidar, uma vez que são ricos em ácidos graxos ômega 3 e têm baixos níveis de mercúrio. Acredita-se que o salmão seja importante para regular os hormônios  e aumentar a circulação de sangue para os órgãos reprodutivos, aumentando assim as chances de engravidar.

Por ser rico em ômega 3, contribui para fecundação e implantação do embrião por atuar na fluididade  da membrana do óvulo. Acredita-se também que o salmão pode ajudar na prevenção de quebras cromossômicas, o que é conhecido por causar defeitos de nascimento e abortos.

9. Banana:


A Banana é uma  rica fonte de vitamina B6 necessária na produção adequada dos hormônios. O consumo de bananas é importante para facilitar e regular a menstruação e também contribuir para o desenvolvimento de óvulos saudáveis. Também  contribuem na conversão de alimentos em energia, criando novas células do sangue, ajudando no crescimento, visão saudável e na pele do bebê. Com tantos benefícios, não podemos deixar a banana de fora da dieta. Só fique atenta a quantidade consumida, pois é uma fruta calórica e pode contribuir para o aumente de peso se consumida em excesso.

10. Carne vermelha:


A carne vermelha é uma grande fonte de ferro e vitamina B12, que ajuda a prevenir a anemia. Além disso, diminui o risco de infertilidade e desempenha um papel vital na produção de células vermelhas do sangue. É também necessária para o desenvolvimento do sistema nervoso. O consumo deve ser cuidadoso, pois o excesso de carne pode levar ao aumento do colesterol. Vegetarianos devem fazer reposição vitamínica ou aumentarem a ingestão de outros alimentos ricos nas vitaminas citadas para não terem a fertilidade reduzida.


A lista é composta por alimentos que são facilmente encontrados e alguns podem ser facilmente substituídos. 

Esses 10 alimentos para engravidar te ajudarão a compor uma dieta balanceada e rica nas principais vitaminas, proteínas e minerais necessários para aumentar sua fertilidade.

Pé no chão e esperança no coração 
Tatiana da Costa

Fonte: momjunction
Compartilhar:

segunda-feira, junho 27, 2016

Como Engravidar: 17 truques para você engravidar rápido


As tentativas para engravidar podem ser muito divertidas e empolgantes no início, mas o friozinho na barriga dos primeiros meses de tentativas logo desaparece se essa espera começa a se estender mais que o desejado. Você então parte em busca de um manual para engravidar, algo que traga muitos truques, dicas e métodos que potencializem as suas chances de engravidar e tragam o positivo desejado. Se o seu desejo é engravidar rápido, encontrará a seguir todas as informações necessárias para alcançar o seu objetivo.


Começar do início é sempre o melhor caminho. Não tem jeito, algumas dicas para engravidar são básicas e muito necessárias.

1. Descubra os seus dias férteis


Usando testes de ovulação ou o método Billings, você pode facilmente encontrar o padrão do seu ciclo e encontrar os dias mais férteis do mês. A maioria das mulheres tem um ciclo regular de 28 dias, mas de um modo geral, um ciclo regular pode variar de 24 a 35 dias. Ciclos muito menores ou maiores que os mencionados, podem indicar algum descontrole hormonal importante que necessita de atenção médica.

Leia também: O que é o Método Billings de ovulação - seus benefícios e desvantagens

2. Aplicativo do período fértil



As mulheres modernas ainda contam com uma vantagem adicional, tem a sua disposição a tecnologia. Existe uma infinidade de aplicativos que armazenam detalhes dos seus ciclos menstruais e são projetados para através dessas informações,  preverem o período fértil do seu ciclo e apontar os melhores dias para engravidar.
Alguns dos aplicativos perfeitos para controlar o período fértil são , Meu ciclo, Ovu View, Sai cólica, womanlog calendar, Ovulation Calculator - Mobile Mom,  PeriodTracker.

Leia também: Conheça o aplicativo que ajuda a engravidar e promete substituir pílula anticoncepcional

3.Alimentação saudável para engravidar


Se você é do tipo que sempre deixa a dieta saudável pra amanhã, agora mais do que nunca é o momento de tomar as rédeas da situação e se empenhar para manter uma alimentação mais regrada e saudável.

Aumente a ingestão de vitaminas e minerais.
Coloque  frutas frescas e folhas no seu cardápio diário.
Adicione alimentos que são ricos em ácido fólico, como verduras verde escuras e brócolis.
Mantenha-se hidratada. É preciso consumir no mínimo 2 litros de água dia para manter os órgãos lubrificados, contribuir para a produção de muco cervical e ajudar no espessamento do endométrio.

Incluir produtos lácteos  e alimentos ricos em Ômega 3 e 6 em sua dieta é  muito importante principalmente para ajudar na fecundação e implantação do embrião.
Faça ao menos 30 minutos de exercícios diários. Quando nos exercitamos contribuímos para a liberação adequada de hormônios importantes para a concepção e bem estar geral.

Leia também: O que comer para engravidar mais rápido

4. Mantenha bons hábitos


Evite cafeína, não beba, não fume, não use drogas, evite açúcar e carboidratos em excesso.

Bebidas ricas em cafeína podem diminuir o fluxo sanguíneo para o útero e pênis. Álcool, fumo e drogas reduzem a fertilidade em até 50%. Carboidratos simples contribuem para o aumento de peso, podem aumentar a resistência a insulina e trazem prejuízos a saúde ovariana.

Leia também: Cafeína diminui as chances para engravidar



5. Não utilizar produtos químicos na vagina:


Estudos têm demonstrado que o uso de produtos químicos como sprays vaginais, tampões perfumadas, glicerina, lubrificantes e até mesmo saliva podem reduzir as chances de engravidar. Esses produtos contêm elementos químicos que são verdadeiros assassinos de espermatozoides. Devem-se evitar duchas vaginais que diminuam o muco cervical contido no colo do útero.

Leia também: Lubrificantes que ajudam a engravidar


6. Homens devem evitar andar de bicicleta ou motocicleta:


Estudos revelaram que o excesso de barulho ou trituração da pelve e virilha contra o assento pode reduzir a eficácia dos nervos penianos. Isso pode levar à dificuldade em obter e manter uma ereção.

7. Não se preocupe com Sexo:


Fazer um bebê dever algo divertido e espontâneo. Claro é preciso manter relações no período fértil para que a gravidez aconteça, mas fazer disso uma obrigação maçante só vai complicar as coisas. O organismo reage a todo o tipo de sentimentos, e não é diferente quando fazemos sexo sem vontade. As alterações hormonais causadas por sentimentos de angústia, por exemplo, podem desregular os ciclos e até mesmo impedir a ovulação.

8. Posições ideais para engravidar:


Não existem comprovações científicas de que determinada posição aumente as chances de engravidar, mas muitos médicos admitem que pensando de forma lógica e direta, ejaculações que ocorram o mais perto possível do colo do útero, trazem melhores chances de engravidar. As melhores posições para engravidar são as que permitem uma penetração mais profunda. Entre elas estão papai e mamãe vaqueira reversa, triângulo luminoso, cachorrinho etc. Quanto mais fundo for a penetração e ejaculação, maiores serão as chances dos nadadores sortudos atingirem o útero e  quem sabe permanecerem vivos por até 72 horas.


Leia também: Como engravidar: 8 posições para engravidar mais rápido


9. Um especialista pode te ajudar:


Se você já utilizou todas as dicas e a gravidez não aconteceu mesmo depois de um ano inteiro de tentativas, é hora de procurar uma ajuda mais séria. Marque uma consulta com um especialista em fertilidade para uma investigação mais profunda.

 10. Xô Estresse:


Tentar engravidar pode mudar toda sua rotina. Se você deixou todo o resto de lado apenas para vivenciar esse momento mágico da sua vida, já deve ter percebido que nem sempre é tão mágico quando a gravidez não acontece. De vez em quando tirar uma folga desse verdadeiro programa militar voltado para engravidar, sair  da rotina do projeto bebê, é necessário para aliviar o estresse e ganhar forças para as batalhas diárias. . Faça aquele passeio relaxante com que vem sonhando, aproveite a companhia de amigos e familiares, vá ao cinema assistir aquele filme sobre o qual todos estão comentando, faça uma reserva no seu restaurante favorito, relaxe e seja feliz.

Leia também: Porque a ansiedade atrapalha a engravidar?

11. Sexo de Manhã:


Cumprimente a manhã de um dia fértil com sexo, surpreenda o seu amado e boa sorte. Não é uma coisa difícil de planejar, já que você conhece de cor a rotina! Estudos mostram que os espermatozoides são mais potentes no início da manhã. Parece que até os espermatozoides são fãs de uma boa noite de sono.

12. Cuidado com alguns medicamentos:


Alguns medicamentos, embora aparentemente inofensivos, podem reduzir suas chances de engravidar. Então confirmar e reconfirmar com seu médico antes de tomar qualquer medicamento é muito importante. Alguns antidepressivos, anti-convulsivos, anti-inflamatórios e medicamentos hormonais podem prejudicar significativamente as suas chances de conceber. Mulheres que Passaram por reposição hormonal por problemas na tireoide e que utilizaram antidepressivos, tranquilizantes e medicamentos para a asma também podem enfrentar dificuldades férteis.

13. A melhor estação do ano para engravidar:


É verdade, algumas estações são melhores para engravidar do que outras. Mudanças sazonais afetam a produção de esperma. A motilidade espermática é mais elevada no final do verão e no início do outono. Então aposte suas fichas no momento certo.

14. Menos açúcar para mais fertilidade:


O consumo de açúcar e alimentos açucarados tem sido associado ao excesso de produção de adrenalina. Este hormônio em particular, ainda que faça parte da mecânica de defesa do corpo, em excesso, diminui a progesterona e como resultado reduz consideravelmente as chances de gravidez por dificultar a implantação do embrião.

15. Orgasmo feminino:


Orgasmo feminino é uma obrigação para concepção? Embora não seja uma obrigação, ele ajuda a “sugar “ o esperma para o útero. O orgasmo feminino cria contrações nas paredes vaginais e do útero, sendo que ambos ajudam a motilidade dos espermatozoides. Além disso, a secreção de lubrificação natural  torna a viagem mais fácil.

16. Super alimentos:


Basta adicionar alimentos como feijão, sementes de abóbora, cereais integrais, azeite e salmão à sua dieta para dobrar suas chances de engravidar, isso porque esses são considerados superalimento.

17.Aumentando a contagem de espermatozoides:


Os homens podem melhorar sua contagem de esperma, evitando levantamento de peso, e ficar longe de ambientes muito quentes, como saunas, hidromassagens e etc.. Eles também podem se abster de sexo por 2-3 dias antes da ovulação de sua parceira. Cortar o álcool, o fumo, aumentar a ingestão de zinco e vitamina E, contribui para o aumento da contagem dos espermatozoides.

Alguns pequenos sacrifícios podem ser necessários para se alcançar a gravidez desejada, mas como tudo o mais na vida os maus momentos são passageiros e a recompensa, essa sim é para sempre.

Leia também: 5 dicas para aumentar a contagem de espermatozoides naturalmente

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 
Compartilhar:

sábado, junho 25, 2016

Sintomas de Gravidez: 17 primeiros sintomas de gravidez

existem sintomas de gravidez que podem ser sentidos antes do atraso mesntrual

A ausência de menstruação é o sinal mais significativo de gravidez, no entanto existem alguns sinais e sintomas que podem sinalizar uma gravidez antes mesmo do atraso menstrual.

Embora a realização de um teste de gravidez antes do atraso menstrual seja desaconselhável,  alguns testes disponíveis no mercado garantem trazer um resultado seguro até 3 dias antes do atraso menstrual.



1. Implantação – Sangramento de nidação e cólicas:


A implantação do embrião acontece para todas as mulheres que confirmam uma gravidez. No entanto apenas para algumas é possível perceber a implantação do embrião através de sintomas. De 6 a 15 dias após o início da implantação do embrião no útero materno, é possível perceber um leve sangramento por até 3 dias. As cólicas podem começar um pouco antes , cerca de 4 dias após a ovulação.
O implante ocorre quando o óvulo fecundado adere ao revestimento do útero materno. O sangramento e as cólicas são leves  e causam apenas leve desconforto. O sangramento pode ser similar a borra de café ou ainda como sangue aguado.
A maioria das mulheres apresenta sangramento de nidação por volta do 20º ao 25º dia do ciclo.

2. Queda súbita da temperatura basal


De um a dois dias após a ovulação, a sua TB irá aumentar de 0,4 a 1 °. Ela baixa de um a dois dias antes da menstruação aparecer, mas durante a gravidez, a TB permanece elevada e pode sofrer um mergulho durante a implantação do embrião, ou seja, cerca de uma semana após a ovulação. Isso pode significar que o embrião se implantou no endométrio. Novamente um a dois dias após o mergulho a TB volta a subir e permanece elevada até o momento do parto.

3. Seios doloridos:


Inicialmente os vasos sanguíneos presentes nos seios começam a dilatar e crescer. Os seios tornam-se maiores, mais sensíveis e a auréola pode se tornar maior e mais escura. Formigamentos nas mamas também são frequentes bem como grande incomodo ao usar o sutiã. Duas semanas após a ovulação é possível sentir esse tipo de sintoma de gravidez.

Leia também: Alterações nos seios: Sintoma precoce de gravidez

 4. Fadiga:


Acontece um pico nos níveis de progesterona no início da gravidez que pode te deixar mais cansada e sonolenta. O aumento da produção de sangue que  acontece para que o embrião receba os nutrientes necessários e consiga se implantar com sucesso, é também responsável pela fadiga repentina. Você se sentirá esgotada com facilidade principalmente se sua alimentação não for rica em minerais e vitaminas.

É importante lembrar que a fadiga também pode ser devido a problemas de saúde como anemia, hipotireoidismo, etc.

5. Náuseas:


Náuseas e enjoos matinais são sinais clássicos de gravidez e para as mulheres mais sensíveis aos efeitos da progesterona e do HCG, podem ser sentidos logo após a implantação do embrião.
Embora você possa sentir náuseas a qualquer hora do dia, pela manhã elas se mostrarão mais intensas. Cerca de 75% das mulheres experimentam os enjoos matinais, mas a gravidade pode variar de acordo com cada gravidez e com cada gestante. A condição pode ser pior  se for sua primeira gravidez.

Náuseas geralmente desaparecem após o primeiro trimestre, mas para algumas mulheres podem durar os nove meses.
Grande parte das gestantes não apresenta esse sintoma antes da sexta semana de gravidez.

6. Inchaço e flatulência:


A progesterona é mais uma vez a vilã da história. A alta produção de progesterona pode retardar a digestão e causar problemas de flatulência e constipação. A consequência disso pode ser sentida nas calças mais apertadas, nos arrotos, puns inesperados e inconvenientes bem como aquela incômoda prisão de ventre. Aquele sentimento de estômago cheio também não é raro, isto se deve a lenta digestão.
Comer de 3 em 3 horas ajuda nestas questões e também contribui para diminuição dos enjoos. Evite alimentos fritos e gordurosos, e escolher alimentos saudáveis.

7. Vontade de fazer xixi:


Se não era costume levantar a noite para fazer xixi e de repente a vontade bate não só uma mais duas ou até três vezes, fique atenta, pode ser um sintoma precoce de gravidez.
Quando engravidamos muitas mudanças hormonais ocorrem e há uma produção extra de sangue, o que provoca micção frequente durante a gravidez. Os rins trabalham para filtrar mais sangue e encher a bexiga, provocando uma maior vontade de fazer xixi.

8. Aversões alimentares:


Cerca de 85% das mulheres grávidas apresentam aversões alimentares durante o primeiro trimestre de gestação. As aversões alimentares são caracterizadas pelo enjoo ou náusea quase que instantâneo que atinge a gestante ao entrar em contato com o alimento em questão. Na maioria dos casos basta sentir o cheiro da comida para correr para o banheiro. Esse sintoma pode sumir no inicio do segundo trimestre de gestação, mas em alguns casos pode durar os nove meses de gestação.
Não há nenhuma evidência sólida sobre a razão pela qual a aversão ocorre devido ao cheiro, mas acredita-se que isso pode ser devido aos níveis elevados de progesterona.


9. Tonturas:


Tonturas e vertigens também são os primeiros sintomas de gravidez causada pela pressão arterial baixa. Em seu primeiro trimestre, é normal sentir tonturas durante devido a dilatação os vasos sanguíneos  que acabam reduzindo pressão arterial. A pressão arterial volta ao normal durante o segundo trimestre.

Se a tontura vier acompanhada de sangramento vaginal e dores abdominais, pode ser sinal de gravidez ectópica,  procure um médico caso esse seja o seu caso.

10. Mudanças de humor:


Mudanças de humor  também ocorrem devido a alterações hormonais. As variações nos níveis de hormônios afetam neurotransmissores do cérebro que causam emoções mais intensas de períodos de choro a explosões de raiva súbita.

11. A constipação:


Alterações hormonais, principalmente os altos níveis  de progesterona podem afetar o seu sistema digestivo. Seus movimentos intestinais ficam mais lentos e comida demora mais a passar por seu sistema digestivo .

12. Dores de cabeça e dores nas costas:


Baixos níveis de açúcar no sangue causam dores de cabeça. Quando ocorre um aumento significativo dos  hormônios sexuais femininos  estrógeno e progesterona, que estão trabalhando para preparar o interior do útero para o embrião, é comum acontecer uma queda nos níveis glicêmicos.

Você também pode experimentar dor lombar quando seus  ligamentos relaxarem para que seu corpo se prepare para suportar o peso do bebê. Cólicas de  implantação, inchaço e constipação podem causar dores nas costas durante a gravidez precoce . Evite o uso de medicamentos nessas situações antes de confirmar a gravidez. Só o médico poderá lhe indicar as medicações apropriadas para uso na gestação.

13. Excesso de saliva:


Não é um sintoma comum de gravidez, mas afeta algumas mulheres grávidas com um sintoma precoce. Algumas mulheres podem notar estão produzindo mais saliva que o normal.
A produção de saliva em excesso está relacionado a azia e aos enjoos matinais. Mulheres que sofrem de náuseas tem dificuldade de engolir acabam acumulando saliva na boca. Além disso, se você está sofrendo de azia, existem ácidos em excesso, consequentemente a produção de saliva aumenta para combater a azia. Saliva é geralmente de natureza alcalina e ajuda a neutralizar os ácidos em seu corpo.

14. Gosto metálico na boca:


Você pode ter um gosto metálico na boca, juntamente com uma forte aversão a alguns odores, aquele famoso gosto de cabo de guarda-chuva. Algumas mulheres podem ter um gosto metálico persistente durante todo o dia. Embora a causa real é desconhecida, alguns especialistas dizem que isso pode ser devido a flutuações nos níveis hormonais. Algumas mulheres sofrem com esse sintoma durante toda a gravidez, enquanto para algumas, desaparece logo após o primeiro trimestre.

15. Sede excessiva:


Os estágios iniciais da gravidez fazem as mulheres sentirem sede, muitas vezes devido ao aumento do volume de sangue.

16. Falta de apetite:


Devido a náuseas e vômitos, seu apetite pode não estar lá essas coisas. Fique atenta ao segundo trimestre de gestação para não ganhar peso excessivamente já que normalmente , para a maioria das mulheres começa a bater aquela fome de leão.

17. Falta de ar:


Você pode sentir falta de ar nas primeiras semanas de gravidez porque  seu corpo necessita de mais oxigênio e sangue para compartilhar com o embrião em crescimento. Esse é um sintoma que persiste durante toda a gestação, o bebê cresce e aumenta a necessidade de oxigênio e nutrientes.

Uma rotina de exercícios leves, atenção a postura, respirando de forma profunda e lenta, vestindo roupas soltas, te ajudará a diminuir esse sintoma de gravidez desagradável.


Extra:  Olfato apurado


O nariz parece ter ganhado super poderes e um cheirinho leve pode ganhar força e intensidade de uma maneira estranha e inesperada. A sensibilidade olfativa é um dos primeiros sintomas de gravidez e é mais intensa quando se trata de cheiro de comida, perfume, peixe, fumo e etc.

Seu corpo pode dar sinais de gravidez logo após a fecundação, mas alguns sintomas são semelhantes aos sintomas do período pré menstrual, assim sendo não tire conclusões antes de um teste de gravidez .

Pé no chão e esperança no coração!

Tatiana da Costa 
Compartilhar:

Amigas à Flor da Pele