sexta-feira, maio 20, 2016

Nasce primeiro bebê da nova técnica de reprodução assistida AneVivo


primeiro bebe da técnica anevivo


  • A primeira clínica do grupo de reprodução humana IVI a receber a tecnologia AneVivo foi IVI Bilbao e também a primeira clínica espanhola a implantar o novo tratamento
  • Dispositivo permite a fecundação e desenvolvimento do embrião in vivo (dentro de uma capsula porosa no útero da mãe), permitindo um processo mais natural que o in vitro, no laboratório de reprodução humana

IVI Bilbao, clínica de reprodução humana do Instituto Valenciano de Infertilidade que também possui clínicas no Brasil, conseguiu pela primeira vez na Espanha o nascimento de um bebê mediante a nova técnica de fecundação natural chamada AneVivo, desenvolvida pela empresa Suíça Anecova e selecionada como tecnologia pioneira em 2008 pelo Fórum Econômico Mundial. AneVivo permite a fecundação e desenvolvimento inicial do embrião no útero, no lugar de no laboratório, que é como acontece no tratamento de Fertilização in Vitro.
O processo consiste na introdução dos óvulos e espermatozoides unidos em um dispositivo intrauterino para que a fecundação e posterior desenvolvimento embrionário aconteça dentro do útero, no lugar de numa incubadora. Posteriormente, o dispositivo é retirado para a seleção dos melhores embriões ou embrião, que será introduzido novamente no útero materno para sua implantação. “Este método permite que o embrião seja fecundado e se desenvolva desde suas primeiras horas no seu meio ambiente com as mesmas condições de luz, temperatura e nutrientes que teria se tivesse sido concebido de forma natural. Do ponto de vista psicológico, permite aos pais estarem mais próximos ao processo de reprodução assistida”, explica Dr. Marcos Fernando, diretor médico do IVI Bilbao.
Dra. Genevieve Coelho, diretora clínica do IVI Salvador explica que esta tecnologia possibilita a passagem de fluidos, nutrientes e outros componentes celulares e não celulares através de uma membrana porosa que facilita a interação entre embriões e entorno materno de um modo mais fisiológico. “Os resultados do tratamento foram validados no IVI Bilbao e ali já está sendo oferecido aos nossos pacientes, porém no Brasil ainda não temos uma data para trazer esta nova tecnologia” comenta Dra. Genevieve.
Anecova está começando a comercializar a tecnologia Anevivo em determinados centros de prestigio internacional, sendo a clínica IVI Bilbao uma das primeiras a utilizar e participar ativamente do seu desenvolvimento. “Estamos orgulhosos do nascimento desse primeiro bebê com a ajuda de uma de nossas clínicas” comemora Dra. Genevieve. IVI Bilbao se tornou um centro de excelência para os procedimentos de fecundação natural em reprodução humana” comenta Martin Velasco, presidente e fundador de Anecova. 

Sobre o IVI

Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 50 clínicas em 11 países, incluindo Brasil, e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária.
Compartilhar:

quinta-feira, maio 19, 2016

Dicas para engravidar: 4 dicas para aumentar a fertilidade e engravidar mais rápido


Toda mulher quando decide engravidar, imagina e espera que a gravidez não tarde a acontecer, afinal somos ensinadas desde muito cedo que se não tomarmos a contracepção sem falhas e atrasos, uma gravidez "indesejada" pode acontecer a qualquer momento. Algumas de nós descobrem que as coisas nem sempre são assim tão simples no momento em que param com a contracepção e alimentam o desejo de ter um filho. Alguns ciclos se passam e passamos a questionar o motivo da demora. 


Uma consulta médica é então agendada, exames são realizados, uma investigação completa é feita e nada que comprometa seu sonho é encontrado.  Ainda assim o teste de gravidez insiste em mostrar o temido negativo. Ao invés de se perguntar o que de errado você está fazendo, procure por dicas que te mostrem como fazer certo. Mudar a forma de pensar e encarar as coisas é também um ponto importante dessa jornada.
Existem várias coisas que você pode fazer para ajudar a acelerar o processo. Listamos 4 dicas simples para aumentar a fertilidade e engravidar mais rápido.

Dica 1: Alimentação saudável


Se alimentar da forma correta não só vai melhorar a sua saúde como te tornará mais fértil. Considere diminuir a ingestão de farinha branca, açúcar e alimentos gordurosos. Alimentos processados também devem ser evitados, bem como frituras e refrigerantes. A má alimentação pode gerar além do aumento de peso, descontroles hormonais importantes e prejudiciais a saúde fértil feminina.

A má alimentação pode gerar sobrepeso que por sua vez atrapalha a ovulação. A dificuldade de ovulação é algo que atrasa e dificulta a gravidez. 

Dica 2: Beber água


Cuidar da hidratação também é algo que ajuda a aumentar suas chances de engravidar rapidamente. A hidratação adequada faz o sangue fluir melhor e melhora a saúde do seu sistema reprodutivo. Outro benefício trazido pela hidratação adequada é a fabricação de muco cervical. O componente mais influente e necessário para a abundância de muco cervical é a água. O Muco Cervical é importante para assegurar que o espermatozoide chegue até as trompas para fecundar o óvulo.

Dica 3: Vitaminas ideais 


Nem sempre a alimentação supre todas as necessidades vitamínicas de nosso organismo. Para uma mulher que busca engravidar, esse é um ponto determinante para encurtar o caminho até o positivo. Ácido fólico, ferro, vitamina D e vitaminas do complexo B entre outas, são vitaminas importantes para mulher que deseja engravidar mais rápido.


Dica 4: Reduzir Estresse


O estresse é veneno para o corpo e para alma. Não importa de onde ele venha, não importa qual seu motivo, é nocivo e pode impedir a gravidez de acontecer. 
Acredite, isso não é bobagem. O estresse e a ansiedade são capazes promover desordem hormonal e impedir a ovulação. Se o estresse é causado pelas tentativas frustradas de engravidar use mais uma vez a regra da positividade. Pensamento positivo atrai coisas positivas, negatividade traz cada vez mais dificuldade. Duvida? Só vai conhecer os resultados se tentar.

Leia também: Porque a ansiedade atrapalha engravidar

Essas dicas são úteis também para os homens que precisam manter e ou aumentar a saúde dos espermatozoides. Mude seus hábitos, incentive seu parceiro a fazer o mesmo e colha os bons frutos dessas 4 dicas simples para engravidar.

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 

Compartilhar:

terça-feira, maio 17, 2016

Como acabar com o desequilíbrio hormonal após parar com o anticoncepcional

dicas para engravidar após a parar com o contraceptivo


Depois de parar com o anticoncepcional é possível perceber que os hormônios estão desequilibrados. Se a intenção é engravidar, esse desequilíbrio pode ser um grande empecilho. Hormônios fora de ordem geram irregularidades no ciclo menstrual e até falta de ovulação. A regularidade dos ciclos menstruais é muito importante para que a gravidez não demore mais que o necessário para acontecer.
Para a sorte de nós mulheres, existem tratamentos naturais eficientes e baratos que agem no controle dos ciclos favorecendo o controle hormonal, a ovulação e consequentemente a gravidez, caso essa seja sua intenção.

Mudar a sua dieta


A primeira coisa a se fazer é mudar sua dieta alimentar. Foque a alimentação em frutas, vegetais, cereais integrais e alimentos orgânicos. Fique longe de alimentos fritos, processados, gordurosos, açucarados e ricos em farinha branca. Uma dieta balanceada vai melhor sua saúde fértil.

Dê atenção aos líquidos ingeridos. Ficar longe de álcool e cafeína é uma ótima opção para as mulheres que estão tentando equilibrar seus hormônios. A cafeína por exemplo aumenta os níveis de cortisol e por consequência os hormônios da tireoide diminuem promovendo uma verdadeira bagunça hormonal. Em vez disso, tente beber água, tanto quanto possível, a água manterá todo seu organismo hidratado, além de melhorar o trabalho dos ovários e o espessamento do útero.

Peso Saudável e Estilo de Vida


Além da alimentação equilibrada, é importante fazer exercícios físicos. Uma simples caminhada diária pode contribuir e muito para ajustar a sua atividade hormonal. Durante a atividade física, hormônios importantes são liberados. Esses hormônios não só diminuem o estresse como aumentam a imunidade do corpo. 
Mulheres com sobrepeso ou obesidade,  tendem maiores dificuldades hormonais. Fumo e álcool também são fatores que atrapalham o desempenho hormonal dificultando a ovulação.

Ervas e Suplementos vitamínicos 


Existem  várias ervas e suplementos vitamínicos que podem promover hormônios regulares e ovulação equilibrada. Vitaminas simples, acessíveis e baratas . O ácido fólico, por exemplo, é extremamente útil em ajudar as mulheres a regular seus hormônios e engravidar mais rápido. Uma dose de 5 mg diária é o suficiente para melhorar a qualidade dos óvulos.

Água inglesa para eliminar o acumulo hormonal dos anticoncepcionais


A água inglesa é um fitoterápico produzido a partir  de ervas amargas inicialmente desenvolvida para incômodos estomacais. Descobriu-se no entanto sua eficácia para a saúde fértil feminina e atuação benéfica no pós parto e lactação.
Para mulheres que desejam engravidar, a água inglesa  age no controle hormonal, principalmente ajudando na eliminação de hormônios artificiais como os contidos nos anticoncepcionais orais, injetáveis e implantes e adesivos contraceptivos.
Um único ciclo de tratamento com água inglesa é o suficiente para promover a limpeza do organismo e ajudar no equilíbrio hormonal. 
Mulheres com endometriose também podem se beneficiar com o  tratamento natural para endometriose a partir da água inglesa.



O cérebro é a chave de tudo 


É preciso ter em mente que o cérebro é o ponto chave da maioria das questões, por isso iniciar essa jornada ciente de que alguns contratempos podem surgir é de extrema importância. 
Seu corpo precisa de tempo para se adaptar a nova realidade, e a ansiedade e o estresse podem ser os grandes vilões da sua história se você não tiver paciência e determinação para ajustar seu modo de vida a essa nova realidade.

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 

Compartilhar:

sexta-feira, maio 06, 2016

Óvulos e espermatozoides produzidos a partir de células da pele são quase uma realidade


 
·         Mediante a reprogramação celular direta, investigadores da Fundação IVI conseguiram transformar células da pele em precursoras de células germinais

·         Com a comprovação de resultados em animais, pesquisa com células humanas é projeto mais próximo da criação de gametas in vitro para a espécie humana


Depois de cinco anos de pesquisa da Fundação IVI, foi publicado na revista científica Scientific Reports do conceituado grupo Nature, o estudo que conseguiu identificar marcadores compatíveis com as células germinais (óvulos e espermatozoides). A pesquisa representa o primeiro passo para um objetivo superior: conseguir que uma pessoa que não pode produzir seus próprios gametas, possa obtê-los a partir células de sua própria pele.

Para conseguir espermatozoides e óvulos a partir das células da pele, os cientistas espanhóis utilizaram a reprogramação celular direta. O processo realizado através da estimulação com um coquetel de genes específicos, consegue que células adultas se transformem, seus cromossomos sejam reduzidos à metade depois de entrar em meiose, para então se transformarem em marcadores genéticos e epigenéticos próprios das células germinais.

Apesar do estudo estar no primeiro passo em humanos, sua aplicação em camundongos já revelou resultados positivos. “O que queremos conseguir manipular as células da pele geneticamente para conseguir que uma pessoa que não tem espermatozoides ou óvulos próprios, possa obtê-los para ter filhos geneticamente próprios”, explica Dra. Genevieve Coelho, diretora da clínica de reprodução humana IVI Salvador, que é parte do grupo responsável pelo estudo.


A pesquisa desenvolvida pela Fundação IVI em colaboração com a Universidade de Standford, é o primeiro passo de um ambicioso projeto de longo prazo inspirado no princípio de reprogramação celular, conceito que deu o prêmio Nobel de Medicina em 2012 para Shinya Yamanaka. 
Compartilhar:

quinta-feira, maio 05, 2016

Clomid: Alternativas naturais ao indutor de ovulação clomid

Clomid é um medicamento que ajuda as mulheres a ovularem. Embora possa em alguns casos apresentar alguns efeitos colaterais perigosos, é um medicamento comumente prescrito por  muitos médicos. Muitas mulheres tem receio de utiliza-lo e outras tantas gostariam de encontrar uma alternativa que desempenhe a mesma função sem os perigos dos efeitos colaterais de clomid e com valor mais acessível. Existem alternativas naturais que podem substituir o uso do clomid de forma eficiente e satisfatória. 

Clomid é um medicamento de fertilidade popular que ajuda as mulheres a engravidar. Embora clomid possa ser comprado sem receita médica, é um medicamento que necessita da prescrição da dosagem correta e de acompanhamento médico. Os ciclos com estimulado por clomid, devem ser monitorados de perto pelo médico, afim de atestar a sua eficácia. Algumas mulheres precisam que as doses do medicamento sejam ajustadas para que a indução da ovulação aconteça de forma satisfatória e outras não apresentam resposta ao tratamento com clomid. 
Clomid não está na lista dos medicamentos disponíveis nos postos de saúde ou em farmácias do governo, por isso pode ser dificil para algumas mulheres realizarem um tratamento através desse medicamento para fertilidade. O custo do tratamento com clomid não é muito elevado, mas ainda assim existem formas naturais mais baratas e tão eficientes quanto o fármaco clomid, com a vantagem de não apresentar os perigosos efeitos colaterais. É sobre elas que falaremos a seguir.

Shatavari


Esta medicação é usada para ajudar a regular seus níveis de estrogênio Além de regular o estrogênio, Shatavari também ajudará a regular seus ciclos menstruais, o que facilitará o trabalho hormonal do organismo e consequentemente trará benefícios a ovulação.

Vitex


Vitex é uma erva antiga que tem sido usada durante séculos para ajudar as mulheres a regular seus hormônios. É também uma alternativa  extremamente semelhante ao Clomid exceto pelo fato de ser uma opção natural e mais rentável. Algumas mulheres com condições como a SOP por exemplo , podem se beneficiar duplamente com o tratamento através de vitex. Além de vitex estimular a ovulação, age limpando os ovários e regulando suas funções.

Tribulus Terrestris


Quando você está tentando engravidar, uma ótima opção para regular seu ciclo de ovulação é o  Tribulus  Terrestris. A pesquisa mostra que esta raiz ajuda as mulheres a ovular mesmo  após meses sem ovulação ou menstruação. Sua eficácia é comprovada em cerca de 60% dos casos. Para além de ajudar na ovulação, este medicamento também tem sido eficaz para melhorar todo o sistema reprodutivo. 

Outras opções para induzir a ovulação


É importante notar que tomar medicamentos naturais para fertilidade não vai necessariamente ajudar a engravidar mais rápido. O corpo muitas vezes precisa de alguns ciclos para se ajustar e desempenhar seu papel da forma devida.
Se alimentar de maneira saudável ​​e ingerir muita água são algumas das coisas que podem contribuir na concepção, assim como reduzir o estresse também é algo que pode ajudar. Tomando atenção a esses itens e fazendo uso dos suplementos corretos, engravidar pode se tornar uma tarefa menos complicada.

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa

Compartilhar:

quarta-feira, abril 27, 2016

Ovulação e gravidez: O que é e como identificar a ovulação para engravidar

a importância da ovulação para engravidar



A ovulação é uma das partes mais importantes quando a intenção é engravidar. Se você não ovula, não é possível engravidar. Aprender mais sobre a ovulação irá  te ajudar a determinar as melhores maneiras e os melhor dias para engravidar. 

O que é ovulação?


A ovulação é o processo de desenvolver e liberar um óvulo maduro. Os ovos são desenvolvidos nos ovários ao longo do ciclo. Após ser liberado será  captado pela trompa onde será fecundado e seguirá para o útero. Após liberado pelo ovário, o óvulo viverá de 12 a 24 horas a espera de um espermatozoide, excedido esse prazo o óvulo morre e as chances de gravidez  já não existem mais para esse ciclo.

Identificando a ovulação


Uma das melhores maneiras de melhorar suas chances de engravidar é monitorar o seu ciclo de ovulação. Isso é algo que você pode fazer usando um termômetro basal ou testes de ovulação. A temperatura basal é medida todos os dias pela manhã logo após o despertar. Os testes de ovulação devem ser feitos com intervalos de 10 horas para que os resultados sejam mais eficientes.

Controlando a temperatura basal será possível saber que a ovulação já ocorreu. Está técnica contudo não é eficiente para prever a ovulação, mas pode te ajudar a calcular o provável dia da menstruação. A menstruação ocorre de 12 a 16 dias após a ovulação, conhecendo o dia da ovulação é mais fácil identificar o real atraso menstrual.

Os testes de previsão de ovulação funcionam de forma semelhante a um teste de gravidez. Todas as manhãs, você deve fazer seu primeiro  teste de urina para o hormônio LH., os demais testes devem acontecer em intervalos de 10 horas .Quando o teste apresentar duas linhas da mesma cor, indicará um positivo. Isto quer dizer que o LH atingiu seu pico e que a ovulação está prestes a acontecer . Importante não aguardar pelo positivo para começar os treinos. Tenha relações em dias intercalados tão logo a segunda linha comece a aparecer, assim suas chances serão maiores.

Se a basal não se eleva e os testes de ovulação não positivam, é possível que a ovulação não esteja acontecendo com regularidade, neste caso há várias coisas que você pode fazer. 
A primeira providência a ser tomada quando existe a suspeita de falta de ovulação, é conversar com seu médico a respeito. Ele deverá solicitar alguns exames hormonais afim de identificar o hormônio rebelde que está causando a bagunça do seu ciclo menstrual e impedindo a ovulação.

Resolvendo  problemas de ovulação


Em alguns casos é possível resolver a falta de ovulação apenas com suplementação vitamínica. A falta de ferro, vitaminas do complexo B e vitamina D por exemplo, são normalmente causa para a falta de ovulação de algumas mulheres.  O sucesso do tratamento pode não ser tão rápido quanto o tratamento com indutores de ovulação por exemplo, mas com certeza é menos agressivo e não apresenta riscos a saúde fértil.
Finalmente, melhorar sua saúde de um modo  geral, equilibrar o peso e os níveis de estresse também são pontos importantes a serem trabalhados para que a ovulação acontece com regularidade e mais facilmente. Estes são todos itens que afetam a saúde do seu sistema reprodutivo. Melhorá-los faz com que seja mais fácil para o seu organismo equilibrar a ação hormonal, o que por sua vez facilitará  a ovulação regular. 
E para finalizar não se esqueça da recomendação de sempre, evite cafeína, álcool e fumo.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Compartilhar:

quarta-feira, abril 20, 2016

Fertilização in vitro após os 50 - Esclareça suas principais dúvidas


Realizar uma fertilização in vitro após os 50 está se tornando mais e mais popular, tanto entre os casais sem filhos quanto para casais que estão tentando sua segunda ou terceira gravidez.

Os dados estatísticos mostram que a idade média em que as mulheres ainda podem engravidar e dar à luz bebês saudáveis ​​está aumentando continuamente. O avanço científico em tecnologias médicas assistidas tornou possível para senhoras na casa dos cinquenta engravidar. Veja a seguir algumas das dúvidas mais frequentes de mulheres mais maduras que buscam a gravidez através da fertilização in vitro.

Optar por óvulos doados ou embriões doados


Quando os anos férteis da mulher chegam ao fim e a menopausa se instala, só é possível engravidar através da ajuda das técnicas de reprodução assistida. A maioria das gravidezes após os 50 anos tornam-se possíveis somente com a ajuda da fertilização in vitro e a utilização de óvulos doados . O processo de fertilização in vitro implica em investigações médicas exaustivas sobre a doadora de óvulos ou no caso de embriões doados, da doadora e do doador.  Se  o casal que tenta conceber não possui óvulos e espermatozoides adequados para um encontro satisfatório, a fertilização in vitro pode ser feita com embriões de dadores, o que significa que o embrião vem a partir de doadores anônimos. A escolha fica por conta da necessidade do casal. Se apenas a mulher não mais apresentar óvulos, é possível realizar a fertilização com óvulos doados, no caso do parceiro não produzir mais espermatozoides saudáveis, a necessidade então é da doação de um embrião.

Como funciona a fertilização in vitro após os 50 anos 


Na fertilização in vitro com óvulos doados, tanto a mãe quanto a doadora são obrigados a passar por tratamentos de fertilidade para sincronizar seus ciclos ovulatórios - a doadora precisa apresentar óvulos para captação exatamente quando o forro no útero da receptora fornece o ambiente mais acolhedor para o óvulo fertilizado da doadora. Após a captação o óvulo é encaminhando para a fecundação in vitro. Depois de alguns dias, o embrião resultante é transferido para o útero da receptora, onde crescerá para se tornar um bebê. É também possível utilizar óvulos ou embriões congelados.

Riscos da fertilização in vitro após os 50


As mulheres que se submetem a fertilização in vitro em qualquer idade são expostos a uma certa quantidade de riscos de desenvolver complicações durante a gravidez. No entanto, vários estudos científicos provam que as mulheres com mais de 50 não apresentam níveis mais elevados de risco do que nos casos de gravidez após os 40. Estes riscos geralmente envolvem o desenvolvimento de diabetes e hipertensão, pré-eclampsia , abortos e nascimento prematuro, mas, com pré-natal adequada, a maior parte destas gravidezes podem chegar a termo.

Uma nova resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) libera mulheres brasileiras com mais de 50 anos para fazer tratamentos de reprodução assistida, desde que essas mulheres e seus médicos assumam os possíveis riscos.

Muitas mulheres adiam a maternidade ou enfrentam dificuldades férteis durantes os anos considerados de maior fertilidade. Para essas mulheres a melhor e mais acertada opção é a fertilização in vitro.

Pé no chão e esperança no coração 
Tatiana da Costa
Compartilhar:

terça-feira, abril 19, 2016

Tratamento com Heparina para evitar aborto e natimorto

heparina evita a coagulaçao do sangue e diminui as chances de aborto

Uma gravidez que termina em aborto é um evento traumático, tanto físico quanto emocional. A formação de coágulos de sangue é uma das causas mais comuns deste infeliz acontecimento na vida de uma mulher. É mais comum e frequente em mulheres com trombofilia e nesses casos o tratamento vai desde as chances de engravidar até o pós parto.

Varfarina e heparina


Varfarina e heparina são duas das drogas mais conhecidas que impedem a formação de coágulos no sangue. Enquanto o primeiro mencionado não é prescrito para mulheres grávidas devido aos efeitos prejudiciais que pode ter sobre o desenvolvimento do embrião e no feto, o segundo é amplamente usado. Aqui estão seis fatos todos devem saber antes de voltar a terapia com heparina para evitar aborto.

Heparina é especialmente eficiente com aspirina


Para uma maior eficiência, este fármaco é frequentemente administrado em combinação com aspirina. É reconhecido por sua propriedade em afinar o sangue e prevenir a sua coagulação. A combinação desses medicamentos só deve ser feita se indicada e orientada por um médico, especialmente porque você precisa atestar a necessidade de heparina  e de receita médica para a obtê-la.

Exames médicos necessários antes de usar heparina


Você deve passar por vários exames médicos antes de tomar heparina a fim de determinar com precisão se você realmente precisa seguir este tratamento durante a gravidez. A existência de um natimorto, uma sequência de vários abortos ou a presença de pré-eclâmpsia são outros critérios utilizados pelo médico para esclarecer esta questão.

Seguindo as orientações médicas ao usar heparina


Você tem que seguir as indicações do médico a risca e tomar o remédio de acordo com a conduta adotada pelo especialista. Utilizar regularmente o medicamento é uma parte importante da terapia com heparina para evitar aborto. Pular ou esquecer uma ou mais doses pode ter sérias consequências para a sua saúde e a do seu bebê.


Descanso sempre que possível e evitar exercícios físicos pesados


Se você segue este tipo de tratamento, o mais indicado é fazer repouso sempre que possível e evitar atividades em que você possa se ferir ou se cortar. Isso porque qualquer ferida aberta pode sangrar maciçamente, devido à coagulação do sangue mais lento do que o habitual. Não é raro encontrar mulheres assustadas com a quantidade de sangue perdida ao ralar um joelho ou espremer uma espinha.

Informações importantes no momento do parto


Quando você vai para o hospital para o parto, você deve informar todos os membros da equipe médica que que faz uso anticoagulantes . Mais do que isso, você deve informar quando foi tomada a  última dose de heparina. Essa informação é importante para determinar o momento seguro para a administração da anestesia e acompanhar de perto a quantidade de sangue perdida durante o parto.

Terapia com heparina após o parto


Normalmente, a terapia com heparina também continua depois que o bebê nasce , é uma medida de segurança eficiente para evitar fatalidades pós parto.Tomar este medicamento durante a amamentação é completamente seguro para o recém-nascido, uma vez que as substâncias que o compõem não passam no leite.

Lembre-se que tanto a heparina quanto a aspirina infantil devem ser usadas somente sob a supervisão e orientação de um médico. A indicação para o uso desses medicamentos acontece em casos específicos cuja a coagulação sanguínea seja um problema para a gravidez e saúde da mulher e do bebê.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 
Compartilhar:

segunda-feira, abril 18, 2016

Principais vitaminas que ajudam a ovular naturalmente


Um dos principais benefícios em utilizar vitaminas para ovular  é o fato de evitar o uso de medicamentos que normalmente apresentam efeitos colaterais desagradáveis e podem ser perigosos em alguns casos. As vitaminas no entanto, funcionam aumentando e melhorando a função natural do corpo o que facilita e aumenta as chances de engravidar naturalmente.
Além das funções já conhecidas das vitaminas, o que você pode não saber é que tomar as vitaminas corretas ajuda a melhorar a regularidade do seu ciclo e favorece a ovulação. 

Dificuldades de ovulação são cada vez mais frequentes e embora não seja o único ponto vital para a ocorrência de gravidez, sem ovulação é impossível engravidar uma vez que o gameta feminino não é libertado para o encontro com o espermatozoide e posterior fecundação.

Ácido fólico


O ácido fólico é de longe a vitamina mais importante para a mulher que quer engravidar. Sua ação é benéfica  não apenas para a formação correta do feto como também ajuda a aumentar a qualidade dos óvulos e a corrigir distúrbios relacionados a ovulação. O recomendado é que mulheres que desejam engravidar tomem 5mg diárias de ácido fólico desde as tentativas de gravidez até a 12ª semana de gestação.


Vitamina D para aumentar a ovulação


A deficiência de vitamina D vem crescendo entre os brasileiros  e isso é no minimo curioso já que a principal fonte dessa vitamina é o sol e temos sol durante a maior parte do ano. O sol é um dos principais motivos para o aumento de positivos durante os meses mais quentes do ano justamente por corrigir os níveis de vitamina D que por ventura estivessem fora do ideal.  Os baixos níveis de vitamina D estão diretamente relacionados a interrupção da ovulação e o descontrole dos ciclos menstruais de grande parte das mulheres em idade fértil. 

É importante principalmente nos meses mais frios repor vitamina D através de suplementos. A dose diária recomendada é de 1000 UI para os homens e mulheres que desejam conceber.

Ferro para regular os hormônios femininos


O ferro também é uma das vitaminas importantes para a ovulação.  Quando uma mulher está anêmica ou tem uma deficiência de ferro, seu ciclo de ovulação é geralmente interrompido. Para muitas mulheres, tomar suplementos de ferro pode ajudar a regular os hormônios que causam problemas com a ovulação. Basta lembrar de tomar estes suplementos com fibras e água, porque eles podem causar prisão de ventre.

Vitamina B6 para diminuir naturalmente a prolactina


Esta é outra vitamina que ajuda a regular a hormônios femininos e que aumenta a ovulação das mulheres. Ela  ajuda a reduzir a quantidade de prolactina do corpo, que pode também ser prejudicial para a ovulação e atua aumentando a fase lútea.

Vitamina C para fortalecer o vasos sanguíneos e o endométrio


A vitamina C é algo que ajuda a melhorar a capacidade do corpo de absorver o ferro, o que é importante para o ciclo de ovulação. Ele também pode ajudar a tornar os vasos sanguíneos mais fortes, ajudar a combater infecções e criar mais muco cervical. Esses  são todos fatos que podem interromper a ovulação caso existe algum descontrole em sua atividade.

Certifique-se de estar ingerindo as vitaminas corretas e quantidade adequada de cada uma delas para que seu corpo trabalhe a favor dos ciclos ovulatórios normais. Uma alimentação saudável, rica em fibras, proteínas e com carboidratos complexos é também muito importante para manter a regularidade dos ciclos menstruais e favorecer a ovulação.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 
Compartilhar:

quinta-feira, abril 07, 2016

Clomid : Como engravidar rápido fazendo tratamento com clomid

a maneira correta de tomar clomid e engravidar mais rápido

Clomid é um medicamento eficaz para fertilidade que tem ajudado muitas mulheres engravidarem ao longo dos anos. É uma medicação desenvolvida para induzir e promover ovulação em mulheres que não ovulam naturalmente.

Embora seja realmente eficaz no tratamento de muitas mulheres, ainda existem algumas coisas que você pode fazer para aumentar a as chances de sucesso que o medicamento traz  e engravidar mais rápido .

Perder peso pode ajudar a engravidar com clomid 



Antes mesmo de começar a tomar Clomid, é importante que você converse com seu médico sobre sua saúde de um modo geral e o que pode por venturar ser melhorado para potencializar e ajudar na ação do Clomid.

Se você por exemplo tem ovários policísticos, o ideal é realizar um tratamento que promova a limpeza dos ovários antes de iniciar o tratamento com clomid. Clomid pode aumentar os microcistos e agravar sua condição. Perder peso também é algo a ser considerado, principalmente se sua dificuldade fértil for por desordem hormonal ou ovários policísticos. O excesso de peso pode dificultar a boa resposta ao tratamento e talvez você não desenvolva folículos dominantes capazes de liberarem óvulos saudáveis e promissores.

Como tomar clomid para engravidar mais rápido

Quando estiver pronta para começar a tomar Clomid, certifique-se que  está seguindo atentamente as instruções e jamais faça uso de clomid sem a orientação de um médico.Alguns médicos sugerem o uso do clomid em dias diferentes da maioria dos profissionais, isso porque ele leva em conta os resultados dos seus exames hormonais e suas informações clínicas. Tanto a dosagem, o dia do ciclo de inicio do tratamento, quanto a duração do tratamento, são criteriosamente estudadas pelo médico de acordo com a necessidade de cada paciente. No entanto a maioria dos  médicos prescreve Clomid do 3º ao 7º dia do ciclo.Lembre-se de tomar o comprimido de clomid sempre no mesmo horário, isso ajudará a garantir que o medicamento tenha uma ação eficaz e mais rápida. Caso você se esqueça de tomar uma dose de clomid, tome tão logo se lembre. No caso de perder um dia de tratamento, o ideal é perguntar ao médico qual a melhor conduta a ser seguida. Converse com seu médico sobre isso antes mesmo de iniciar o tratamento. Alguns médicos sugerem uma dose dobrada, outros aumentam por dois dias meia dose além da dose habitual de clomid. As chances de engravidar com clomid são maiores a partir do segundo ciclo de tratamento. Podem ser feitos até 6 ciclos consecutivos com clomid, mas a melhor forma de engravidar com clomid é parar por pelo menos um ciclo após os três primeiros ciclos de tratamento.

Dia certo para ter relações usando clomid


Depois de ter começado a tomar  Clomid,  certamente você quer saber quais os melhores dias para manter relações e aumentar as  chances de engravidar com clomid. O mais indicado é que ultrassons seriados sejam realizados juntamente ao uso de clomid para verificar a eficácia do tratamento,  acompanhar o desenvolvimento dos folículos e o melhor momento para manter relações. Algumas mulheres não respondem bem ao tratamento e um ajuste na dose do medicamento pode ser necessária, mas isso só é possível saber se o ciclo estiver sendo acompanhado da forma devida. Porém nem todos os médicos pedem esse acompanhamento e algumas informações sobre a ação do clomid são valiosas nesse momento. 

É possível que o muco cervical do período fértil não apareça, clomid tente a diminuir a produção de muco cervical clara de ovo. É possível também que os ovários fiquem doloridos por mais tempo que o habitual e esse fato traga certa confusão quanto ao dia mais acertado da ovulação, caso você se guie pelos sintomas mais comuns e típicos da ovulação. Dito isso, vamos as informações mais importantes.

A primeira informação importante é sobre o provável dia da ovulação quando se faz uso do clomid. A ovulação para mulheres que utilizam clomid pode acontecer de 4 a 12 dias após a ingestão do último comprimido de clomid, no entanto para a grande maioria das mulheres, a ovulação ocorre por volta do 8º dia após o último comprimido do indutor clomid. 


A segunda informação importante é sobre o melhor dia para manter relações. Assim como nos ciclos naturais, sem indutor de ovulação, os dias mais férteis são os dias ao redor da ovulação. Caso você não esteja fazendo o acompanhamento do ciclo com ultrassom seriado, o mais seguro é ter relações tão logo o último comprimido de clomid seja ingerido.

As relações devem acontecer em dias alternados e é importante que seu parceiro tome alguns cuidados para aumentar as suas chances de engravidar. 

Certifique-se de que ele se mantenha afastado de vícios que prejudiquem a saúde do espermatozoide como fumo, bebida, cafeína em excesso. Instrua-o a  manter a região escrotal ventilada sempre que possível, limitando a quantidade de calor nos testículos. O ideal é que ele utilize roupas mais soltas e evite saunas  e banheiras de hidromassagem. Uma suplementação vitamínica também é bem vinda. Um reforço na vitamina E e no zinco será útil na produção de esperma saudável.

Clomid é extremamente eficaz e pode ajudar as mulheres a engravidar rapidamente, mas lembre-se que clomid é um medicamento e como tal se utilizado de forma displicente, pode trazer danos a saúde. Só faça uso de clomid com o devido acompanhamento médico.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Compartilhar:

sexta-feira, abril 01, 2016

FIV : Passo a passo completo da Fertilização in Vitro



Se você encontrou dificuldade de concepção e está em busca de técnicas de reprodução assistida para realizar seu desejo de engravidar, talvez a FIV ( Fertilização in vitro) seja a técnica ideal para o seu caso. Muitas mulheres alcançam a gravidez através dessa técnica que hoje, é bem mais acessível e viável. A Taxa de sucesso da FIV é algo em torno de 60%, mas pode variar de acordo com as particularidades de cada caso em específico e da idade materna.

Vídeo do passo a passo da fertilização in vitro no final do artigo



Fazer uma FIV no Brasil pode variar entre 14 a 30 mil reais, dependendo da clínica escolhida. Esse valor pode ser parcelado na maioria dos locais e algumas clínicas trabalham com o sistema de compensação para quem faz doação de óvulos, ou seja, a paciente doa alguns óvulos e seu tratamento é total ou parcialmente custeado pela receptora.  


Decisão tomada, clínica escolhida, é hora de conhecer um pouco sobre o processo e se preparar para a Fertilização in vitro. Saber o que esperar sem dúvida diminui o estresse e traz segurança, então acompanhe o passo a passo da FIV e conheça os 4 passos principais da Fertilização in vitro. 

FIV Passo a Passo


Passo 1: Indução da ovulação


Através de medicamentos injetáveis a indução de ovulação será realizada.  Antes mesmo de começar o processo de indução através de medicação injetável , o seu especialista em fertilidade monitorará os seus ovários e o momento da libertação do óvulo. 
A maioria das mulheres produzem dois óvulos ou mais com  a indução realizada pelos medicamentos. O médico deve observar com cuidado todo esse processo já que algumas mulheres são más respondedoras, ou seja, não conseguem produzir óvulos mesmo com a utilização de indutores de ovulação. Algumas vezes é necessário que o processo seja repetido no ciclo seguinte, então esteja preparada sobre tudo emocionalmente para alguns contratempos.

Caso sua reserva ovariana esteja muito baixa, ou mesmo esgotada, a possibilidade para o seu caso é uma FIV através da ovo doação. 

Passo 2: Capturando os óvulos


O médico identifica o melhor momento através da analise dos diversos ultrassons que serão realizados, identificado o melhor momento é hora de capturar os óvulos. A captura dos óvulos é realizada pelo seu especialista e é um processo bem simples. É aplicada medicação para reduzir a dor e  o desconforto do momento.  Uma agulha muito fina é introduzida através da parede superior da vagina até os ovários, o fluído então é removido de dentro dos folículos com sucção suave de cuidadosa.  Tudo é observado através do ultrassom transvaginal.
Imediatamente após a aspiração do folículo, o óvulo é abrigado no fluido folicular, colocado em uma placa de cultura e logo transferido para uma incubadora. 

Passo 3: A fertilização



O próximo passo do processo da FIV é a fertilização do óvulo. Uma amostra de esperma do seu parceiro ou de um doador , que já deve se encontrar armazenada e protegida, é analisada e o esperma mais ativo é colocado com o óvulo numa câmara especial. Em seguida, o óvulo e o esperma são colocados numa incubadora e monitorados para garantir que se desenvolva um embrião saudável. Se o esperma não for satisfatoriamente  ativo ele pode ser injetado diretamente  dentro do óvulo por injeção intracitoplasmática (ICSI). ICIS é uma técnica de reprodução assistida que pode se necessário, ser incluída na FIV.


Passo 4: a qualidade do embrião


Existem vários critérios para avaliar a qualidade do embrião. Isto é especialmente importante quando se tenta decidir quais  serão os selecionados para transferência de embriões. No início da manhã do dia da sua transferência, os embriões são avaliados e fotografado pelo embriologista. O embriologista juntamente com o seu médico irão decidir com base na taxa de desenvolvimento e aparência dos embriões, quais e quantos embriões são recomendados para a transferência. Mais de um embrião pode ser transferido e nesse caso mais de um bebê pode ser gerado.
Normalmente embriões são transferidos na fase de clivagem (3 dias após sua aspiração) ou na fase de blastocisto (5 dias após sua aspiração).No laboratório um sistema de classificação é utilizada para avaliar a qualidade dos embriões.


Transferência do embrião em fase de clivagem


Embriões em estágio de clivagem tem de 4 a 8 células.  A analise é cuidadosa e observa não só o número de células mas também sua assimetria e fragmentação. A fragmentação ocorre quando as células se dividem de forma irregular, resultando em estruturas semelhantes a células que povoam o embrião. Embriões fragmentados são na maioria das vezes dispensados. 

A classificação dos embriões  varia de grau 1 a grau 4 sendo o embrião grau 4 de ótima qualidade e o embrião grau 1 de má qualidade

Transferência do embrião em fase de blastócito


Nesta fase os embriões já estão bem desenvolvidos. A expansão do embrião é o ponto de analise mais importante nessa fase. Quanto mais expandido  melhor será a qualidade do embrião. Estes embriões também são classificados por uma escala numérica, de 1 a 6 sendo o grau 6 o embrião de melhor qualidade

Grau 6 : Um blastocisto bem expandida Grau 1 : Um blastocisto mal expandida

Passo 4: A transferência de embriões e Implantação


O passo final do processo de FIV é a transferência de embriões. Em primeiro lugar, os embriões são examinados novamente  para selecionar as mais saudáveis ​​para a transferência. A transferência é indolor e não querer analgesia. Um espéculo é colocado na vagina e um ou mais embriões são  gentilmente injetados através de um pequeno tubo de plástico inserido através do colo para a cavidade uterina. Estudos comprovam que a implantação tem mais chance de sucesso quando o processo de transferência é realizado sob supervisão através de um ultrassom.

Um repouso de 24 horas é necessário após a transferência dos embriões. Nos dias a seguir, a rotina deve ser retomada evitando grandes esforços e excesso de peso. 
Procedimentos Adicionais da Fertilização in vitro(FIV)

Laser Assisted Hatching


Para se implantar o embrião deve se libertar da membrana que o encobre a chamada zona pelúcida. Algumas vezes essa membrana é pouco fluídica e muito espessa.  Laser Assisted Hatching é uma técnica que permite realizar uma pequena abertura na zona pelúcida para facilitar a saída do embrião e melhorar as chances de implantação . Estudos têm demonstrado que a técnica melhora as taxas de sucesso de fertilização in vitro seja na transferência de embriões recentes ou congelados.

Crio preservação - Congelamento de embriões 


A crio preservação de embriões (congelamento) é recomendada para os pacientes que têm um número excessivo de embriões normalmente fertilizados ou blastocistos de alta qualidade que poderão ser utilizados em futuras transferências. Os embriões podem ser congelados na fase zigoto um dia depois de sua captura ou após 5 ou 6 dias  na fase de blastocisto. Em determinadas circunstâncias, também podem congelar embriões na fase de clivagem. Os embriões podem ficar congelados durante anos e serem transferidos para a paciente quando o desejo de uma nova tentativa ou de uma nova gestação seja considerada. 

A biópsia do embrião


Biópsia do Embrião - Diagnóstico Genético Pré-implantacional (PGD)


Diagnóstico Genético Pré-implantacional (PGD) é um processo realizado em conjunto com a fertilização in vitro (FIV). Ele é realizado para ajudar a detectar anomalias genéticas, doenças genéticas hereditárias em embriões antes da implantação, evitando assim a transferência de embriões afetados. É uma ferramenta valiosa e mais utilizada em mulheres que sofreram abortos recorrentes, com idade igual ou superior a 38 anos,   falhas de fertilização in vitro repetidas mesmo com embriões de alta qualidade, infertilidade inexplicada entre outros.

Pesquise antes de escolher a clínica que realizará o procedimento. Muitos fatores influem no sucesso da primeira tentativa, por isso se informe sobre as taxas de sucesso do local e reputação do especialista.

Assista agora a um vídeo incrível que mostra o passo a passo da fertilização in vitro como você nunca viu antes.
Veja também: Como funciona a doação de óvulos
Veja também: Dicas eficientes para  aumentar as chances de sucesso da FIV


video

Pé no chão e esperança no coração!
Tatiana da Costa 
Compartilhar:

Amigas à Flor da Pele