segunda-feira, novembro 21, 2016

4 Dicas para engravidar naturalmente nunca antes reveladas


Quando se tentar engravidar por um longo tempo, todas as principais dicas para engravidar já não são mais novidade e a maioria delas, se não todas já tentadas, não trazem mais qualquer benefício ou melhores resultados. 

Passamos a nos perguntar porque as coisas funcionam com todas, mas nunca trazem resultados para nossa própria realidade. A resposta pode estar nas necessidades mais específicas do seu corpo, do seu organismo.

Grande parte do insucesso das tentativas para engravidar são provenientes de problemas com a fase lútea. Mesmo quando ela não é demasiado curta, ela pode ainda assim  ser deficiente.

Muito se fala dos tais 70% de abortos ovulares que acontecem nos ciclos de uma mulher que tenta engravidar, mas pouca ou nenhuma solução é apresentada efetivamente para solucionar essa questão. 

Quando nenhuma causa para infertilidade é encontrada, diz -se que o casal sofre de ESCA ( Esterilidade sem causa aparente). Estima-se que a ESCA seja a responsável pela infertilidade de 10 a 15% dos casais que não conseguem engravidar. No entanto alguns médicos não acreditam nessa ausência de diagnóstico concreto e muitos atribuem a infertilidade à problemas desconhecidos da fase lútea.

Problemas na fase lútea atrapalham, interferem e muitas vezes impossibilitam a implantação do embrião no endométrio.
Sem o estímulo correto do endométrio o útero não apresenta condições necessárias e ideais para a fixação e desenvolvimento do embrião. Dito isso, vamos as quatro mais importantes dicas para engravidar que nunca ninguém te deu.

Dica 1 - Ajude seu fígado a inativar o excesso de estrogênio

A grande causa para a deficiência de progesterona é o elevado nível de estrogênio ou predominância estrogênica. Para que os níveis de progesterona subam e desempenhem seu papel de forma correta, é necessário garantir que o estrogênio seja controlado pelo organismo.

Nesse processo é importante garantir que não haja escassez de vitamina B, principalmente a vitamina B6 e que ela atue em colaboração com o magnésio e o zinco.

A suplementação vitamínica desses elementos pode ser realizada separadamente, ou em suplementos que combinem essas e outras vitaminas e minerais.

Dica 2 - Magnésio transdérmico       

Sofremos nos dias atuais de uma significativa deficiência de magnésio devido ao solo pobre e a falta de quantidade adequada de minerais na água que bebemos. No entanto o magnésio é essencial na produção de progesterona. 

A maneira mais eficaz de fazer a reposição de magnésio no organismo é através da pele. Por via transdérmica o magnésio é melhor absorvido pelo organismo e se torna mais eficiente que na forma oral.

Você mesmo pode fazer o seu óleo de magnésio que na verdade não é um óleo de fato. Ele é assim chamado por, em contato com a pele, promover sensação de oleosidade.

Um número de 6 a 12 borrifadas diárias é o suficiente para favorecer a produção de progesterona.


Dica 3 -Reduzir o uso e consumo de Fitoestrógenos e Xenoestrógenos

Respirou aliviada porque tem certeza que não consome fitos e xenos? Então você não deve usar shampoo, maquiagem, desodorantes, sabonetes, loções para o corpo, potes plásticos, produtos para pele e nada que contenha soja, certo? 

Para que os níveis estrogênicos não se elevem demais e diminuam a produção de progesterona, o uso de tais produtos deve ser limitado.

Se informa sobre o método no-poo para cuidar dos cabelos, utilize sabonetes naturais, dê preferência a potes de vidro e até aprenda a fazer seu próprio desodorante. Essas são algumas medidas simples e possíveis que podem trazer benefícios incalculáveis a sua saúde.


Dica 4- Suplementação de Iodo (Lugol)

Segundo A OMS, 70% de nós brasileiros temos deficiência de Iodo, mineral esse essencial para nossa saúde. O Iodo é um Mineral importante para a formação dos hormônios T3 e T4 e é igualmente importante para equilibrar o estrogênio no organismo entre outras coisas.

Uma publicação da revista The Lancet, uma das mais importantes na área médica, afirmou que o Iodo que é principalmente encontrado nas mamas,  útero e ovários, quando em baixa no organismo, aumenta as chances  de câncer de mama, endométrio e ovários. Isso acontece devido a deficiência de Iodo estar diretamente ligada ao aumento do estrogênio no organismo da mulher. 

A deficiência de Iodo parece estar associada ao desequilíbrio entre o Estradiol, Estriol e Estrona. Os três são estrogênios, no entanto o Estriol é um hormônio protetivo contra os desequilíbrios da progesterona e do desenvolvimento de células cancerígenas. A baixa quantidade de Iodo no organismo diminui o Estriol e aumenta a quantidade de Estradiol e Estrona, provocando assim  alguns distúrbios na fase lútea e maiores chances de câncer.

Duas gotas diárias de Lugol a 5% são suficientes para realizar a suplementação De Iodo. Porém essa suplementação não deve ser feita sem acompanhamento médico, pois pode trazer alguns riscos à saúde. Principalmente se houver deficiência de selênio e ou intoxicação com metais pesados como mercúrio, chumbo, bromo, cloro ou flúor. 

Embora na internet seja possível encontrar dicas de testes para descobrir se a suplementação de Iodo é necessária, o Dr Gabriel Azzini alerta sobre a necessidade de realizar um teste de carregamento de Iodo com acompanhamento médico. 

Após a ingestão de uma dose de Iodo, observa-se na urina a quantidade excretada, se menor que 90%, a suplementação de Iodo se faz necessária.

Creme de progesterona para engravidar 

Por fim, uma dica já conhecida, talvez não por todas, mas imensamente útil, é a utilização de progesterona creme (transdérmica). A progesterona assim como o magnésio é melhor absorvida no organismo através da pele. Só fique atenta ao realizar sua compra pois infelizmente, alguns cremes de progesterona contém xenoestrógenos.

Siga a orientação médica para utilizar a progesterona. Quando utilizada no momento errado pode impedir a ovulação e desregular o ciclo menstrual.

Aliada a todos essas dicas, vale lembrar que é muito importante ingerir muita água. São necessários no minimo 2 litros diários de água para que seus órgãos, inclusive os envolvidos no sistema reprodutor, estejam devidamente lubrificados e preparados para o seu trabalho.

Nunca faça uso de qualquer medicamentos em orientação do seu médico.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Fonte: Dr Grabriel Azzini
óleos para tudo
Marylin Shannon

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário