quinta-feira, junho 27, 2013

Beta HCG - Falso negativo e falso positivo


Já falamos algumas vezes sobre testes de gravidez, e sobre as quantidades de hcg que determinam o resultado entre negativo, indeterminado ou  positivo. Hoje falaremos um pouco mais do hormônio que caracteriza a existência de uma gravidez, o HCG.
O HCG (gonadotrofina coriônica) é um hormônio secretado normalmente de células trofoblásticas ( uma das primeiras formações após a fecundação do óvulo) e é através desse hormônio que confirmamos uma gravidez. Portanto sua detecção em doses maiores que 2mui/ml, só é possível após a fecundação e implantação do embrião no útero.


Falso negativo

Testes feitos prematuramente podem indicar um falso negativo. 

Após a implantação do embrião a fabricação de hcg vai aumentando gradativamente no decorrer das semanas. Por isso é importante aguardar o atraso menstrual para realizar um teste. Quanto mais tempo de atraso, maior a concentração de hcg e portanto mais fácil de confirmar uma gestação. 
Beber muita água antes da realização de um teste, pode diluir demais a urina promovendo  um falso negativo. 
O uso de diuréticos e prometazina ( um anti histamínico) também são responsáveis por falsos negativos.

Mulheres desreguladas tem mais dificuldade de identificar o seu período fértil, e com isso, muitos testes são feitos demasiadamente cedo e acabam por não encontrar uma concentração de hcg que determine um positivo.

É importante dizer que mulheres com gravidez ectópica(fora do útero) podem ter mais dificuldade para descobrir a gravidez através de um exame beta, isso porque a concentração de hcg nesses casos, é mais baixa que o normal. 

Obs: Cuidado com essa última informação. Tenho certeza que muitas de vocês, por apresentarem sintomas que consideram claros, mas que não conseguem um positivo em seus betas, vão pirar e achar que existe uma gravidez ectópica. Na maioria dos casos são testes prematuros ou sintomas produzidos pela ansiedade. 

Como sabemos o hCG é o principal hormônio produzido pela placenta durante a gestação inicial. Ele é secretado pós pulsação placentária, que ocorrem a frequências de 7 a 8 minutos e 18 a 20 minutos, no 1º trimestre. Desvios nesses pulsos podem explicar algumas das variações nos níveis de hCG encontrados nesse período, o que explicaria a incidência de casos raros em que uma mulher mesmo grávida apresenta dificuldades para confirmar sua gestação através do exame de beta hcg 

Nesse caso o ideal é fazer um ultrassom transvaginal, 20 dias após a fecundação, para visualização do saco gestacional.

Falso positivo



Esse tema é um pouco mais complicado. 

Alguns fatores podem influenciar no resultado de seu teste e por isso alguns cuidados devem ser tomados. 

Testes caseiros de farmácia.

Deve-se tomar cuidado para que sabões e detergentes abrasivos não contaminem a urina e não prejudiquem a coleta. Esse tipo de substância pode causar um falso positivo. 

Na hora da coleta, se for necessário a utilização de algum recipiente, certifique-se de que este, esteja livre de qualquer tipo de sabão. Enxague-o em abundância com água corrente.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem interferir no resultado de seu teste de gravidez, seja ele de sangue ou urina, caseiro ou laboratorial. 

São eles:
Injeções de gonadotrofina coriônica, utilizadas em tratamentos para perda de peso e fertilidade, Anti convulsionantes, hipnóticos, alguns tranquilizantes, certos diuréticos e medicamentos para o tratamento do parkson.
Drogas como metadona, canabinóides, clorpromazina e fenotiazinas

É importante citar que se houver a suspeita de uma gravidez durante o tratamento com algum desses medicamentos, uma consulta para confirmação da gravidez se faz necessária o quanto antes, pois a maioria dos medicamentos citados, podem ser prejudiciais a saúde fetal.

A presença de sangue ou proteína na urina também podem gerar falsos positivos. 
Quer entender mais sobre falsos positivos? Clique Aqui

Enfermidades (doenças) que podem causar falsos positivos

Lúpus - Devido a presença aumentada de proteína na urina de portadores dessa doença.



Deficiência de Iga- Pacientes com  Deficiência de imunoglobulina A, apresentam um aumento de hcg no sangue.

Gravidez molar ou gravidez de mola- Complicação rara que ocorre no momento da concepção, durante a formação da placenta.
Não existe confirmação do motivo, mas sabe-se que o embrião apresenta somente as células do pai, que por sua vez se duplicam e formam um tumor que pode ser benigno.

Coriocarcinoma- É a evolução maligna da gravidez molar ou mola hidatiforme.

O hcg ainda pode se fazer presente em casos de melanoma, carcinoma de mama, do pulmão, do estômago, do cólon, do pâncreas, do fígado, do ovário, da bexiga.



Valores baixos entre 3 e 100 mui/ml, podem ser encontrados em mulheres na menopausa, não grávidas e sem nenhum problema de saúde. Esses valores podem vir de várias fontes, mas em especial das células gonadotróficas da


hipófise. 


Porém o mais comum entre os falso positivos, é a não evolução de uma gestação pós fecundação, o chamado micro aborto ou perda ovular. 

Para que uma gravidez seja caracterizada a termo, é preciso que ocorra não só a fecundação, mas também a implantação e o início de desenvolvimento do embrião no útero. 

Um estudo realizado com 221 mulheres, analisou cerca de 707 ciclos, entre estes foram detectadas 198 gestações pelo aumento de hcg no período em que se imagina ter havido implantação, porém deste total, 22% das gestações, foram encerradas antes da confirmação clínica, ou seja, antes mesmo que fosse possível visualizar o saco gestacional intra útero. 
É nesse tipo de caso que um beta pode dar positivo, e dias depois a mulher "menstruar" ou mesmo apresentar um novo beta com resultado negativo. Erroneamente suspeita-se de erro laboratorial quando na verdade, o motivo foi uma perda ovular.
Isso acontece muito mais do que imaginamos e não é considerado aborto espontâneo. 95% das mulheres que já apresentaram perda ovular precoce, apresentam fertilidade posteriormente normal.

Espero que todas entendam e usem essas informações com cautela e sabedoria. Não quero ver ninguém pirando ou achando que está a beira da morte com uma doença grave. 
Cada caso é um, e só o médico pode confirmar qualquer um dos casos e problemas citados acima. 



Pé no chão e esperança no coração 

Tatiana da Costa 

Fontes: Labtest
           Instituto H Pardini
           Emaxilab 



Compartilhar:

Amigas à Flor da Pele