terça-feira, março 05, 2013

Infertilidade - Fator imunológico



Homem e mulher foram criados para se encaixar perfeitamente e assim procriar, povoando e renovando o Mundo em que vivemos. Embora seja uma realidade, não é uma verdade absoluta. O encaixe pode ser perfeito, mas para procriar dependemos de outros fatores que sem sempre funcionam tão bem.

Quando a fecundação acontece, metade das informações genéticas obviamente são do pai. Essas informações genéticas paternas, são um organismo estranho para o sistema materno que pode passar a ataca-lo, afim de se livrar desse "corpo estranho. É o organismo materno, se defendendo de algo que acredita ser nocivo. Por esse motivo, é necessário que o sistema imune da mãe, trabalhe em harmonia para que reconheça o embrião, mesmo sendo um "corpo estranho", e o permita se desenvolver, progredindo assim a gravidez. 
Em algumas ocasiões, o sistema imune da mãe,   rejeita esse corpo estranho e passa a produzir anticorpos para combater o intruso.

Quando um casal tenta por mais de um ano engravidar sem sucesso, e todos os demais exames parecem normais, o médico então sugere uma investigação mais profunda para descartar ou confirmar uma provável incompatibilidade entre os parceiros.

Começa outra bateria de exames. O exame mais básico que dá início a essa nova investigação é o Teste Pós - Coito ou Sims-Huhner. Esse exame consiste em analisar o muco cervical da mulher, de 4 a 12 horas após a relação sexual em que haja ejaculação.  A finalidade é observar qual  o comportamento dos espermatozoides em contato com o organismo feminino. Se a grande maioria dos espermatozoides estiverem imóveis, certifica-se então a incompatibilidade entre o muco e os espermatozoides. O médico avaliará  a necessidade  de outros exames para que se defina o melhor tratamento para que o casal possa conceber.

Outros exames para avaliar fatores imunológicos podem ser solicitados de acordo com o histórico das pacientes. Os anticorpos anticardiolipina, anticorpos antitireoidianos, fator anticoagulante lúpico, serina, células NK, IgA, Fator V de Leiden etc, fazem parte dessa investigação do sistema imunológica feminino. ( É necessário esclarecer que esses exames são pedidos em casos específicos e depois de uma ampla analise clínica por parte do médico capacitado).

Por fim, para diagnosticar uma possível rejeição dos anticorpos paternos pelo organismo materno, é solicitado o "Cross- Match". Esse exame vai dizer se realmente o organismo da mulher rejeita o embrião por produzir anticorpos contra os linfócitos do pai. A boa notícia é que em caso positivo, é produzida uma vacina para mãe, com os linfócitos do sangue do pai, e assim após o tratamento, a gravidez pode prosseguir de forma saudável.

Quando são pedidos exames de investigação  para incompatibilidade imunológica?

*Esses exames são solicitados quando o casal, após 1 ano de tentativas, não obtêm sucesso e todos os demais exames se encontram dentro da normalidade. 
*Na ocorrência de 2 ou mais abortos espontâneos.




E assim pesquisando, lendo e se informando, vamos encontrando as possíveis causas e soluções para diversas dificuldades.

Pé no chão e esperança no coração ! 

Compartilhar:

4 comentários:

  1. Bom dia Tati
    Eu tenho muitos anticorpos antiesperma e nao consigoo engravidar. Existe algum tratamento natural para isto??

    Grata,
    Josi

    ResponderExcluir
  2. Olá Josi,
    Conhece o Juá ou Physalis...ela tem propriedades que ajudam o corpo a não rejeitar órgãos transplantados e também contribuem para que o organismo materno não indentifique o embriao como ameaça ...não sei se aplica-se exatamente aos anticorpos antiesperma , mas é a informação de tratamento natural mais próxima que tenho ...
    Espero que ajude.
    Abraços !

    ResponderExcluir
  3. Oi minha menstruação mês passado veio normal
    e esse mês faltam sete dias pra descer só que hoje ao me limpar tinha um pouquinho de sangue no papel bem claro o q pode ser

    ResponderExcluir