sexta-feira, janeiro 14, 2011

7 principais problemas que podem surgir com o uso de indutor de ovulação

Tenho visto muitas mulheres que no desespero de alcançar seu objetivo, recorrem ao indutor de ovulação sem prescrição médica.
Sem fazer ideia do quanto isso as pode prejudicar. Tomam doses exageradas , dobradas, sem ao menos um  exame hormonal ou um ultrasson para verificar a necessidade ou não do indutor.


Quando as indicações são favoráveis, ele pode ser um grande aliado na busca pela gravidez. Muitas mulheres conseguem resultados já no primeiro ciclo, embora as chances sejam maiores a partir do segundo. Quando avaliada corretamente por um profissional da saúde, o indutor pode de fato trazer alegrias, ainda que existem alguns riscos a saúde.
Porém de  nada adianta você tomar o indutor se o seu problema não for específico para o uso do mesmo. Não é porque deu certo com a vizinha que vai funcionar sem consequências graves com você.

Quero nesse post, informar vocês do risco que correm. Criticas e sermões não adiantam de nada se as informações sobre o perigo não forem passadas.
As consequências do uso indiscriminado do indutor vão muito além de um gravidez gemelar, ou de aborto. Embora um trauma para vida toda, o aborto é o menor dos riscos.
Vou aqui apresentar e falar um pouco de cada problema que pode surgir.

Indutor de ovulação funciona?

1.Hiperestímulo dos ovários

Os ovários ficam bastante aumentados, e ocorre uma série de alterações metabólicas e de permeabilidade vascular que podem causar desidratação, alterações eletrolíticas e em casos mais graves ascite (acumulo de líquido em cavidades corporais como o abdomem e a pleura) traumatismo e perda dos ovários.

2.Trombose

A trombose é o resultado da formação de coágulo, ou trombos, quando algum fator lesa a parede dos vasos sanguíneos ou faz o sangue estagnar no seu seu interior.
Essas placas podem obstruir a circulação no local ou, na pior hipótese, atingir os pulmões, bloqueando a oxigenação do sangue. É a embolia pulmonar, um acidente potencialmente fatal, responsável por 50 mil mortes por ano, nos Estados Unidos.

O perigo imediato da trombose é a chamada embolia pulmonar. O problema ocorre quando os trombos se fragmentam e pequenos coágulos migram pela circulação até os pulmões, entupindo vasos onde o sangue deve ser oxigenado antes de voltar a "alimentar" o corpo. O paciente corre risco de vida.
A longo prazo, os trombos podem levar a uma inflamação na parede dos vasos sanguíneos - a chamada flebite. O funcionamento das veias é afetado, gerando lesões que minam a qualidade de vida do paciente, como úlceras e o escurecimento da pele, grandes varizes e o inchaço do local.

3.Agravamento do hipotiroidismo

Hipotiroidismo é a condição em que a quantidade de hormônios produzidos pela tireoide, em nosso organismo, está abaixo do normal.

Uma em cada 10 mulheres com mais de 65 anos apresenta sinais leves de hipotiroidismo.

A diminuição da quantidade de hormônios pode ocorrer devido a uma doença tiroideana congênita, após uma inflamação da tireóide, cirurgia de tireóide, tratamento da tireóide com iodo radioativo, após tratamento medicamentoso do hipertiroidismo ou por carência severa  de iodo na dieta.

Normalmente, as pessoas com hipotiroidismo leve não apresentam sintomas.
Entretanto, alguns referem uma sensação de conforto ou de bem estar após tratamento com hormônio tiroideano.
Estudos realizados em pacientes com hipotiroidismo leve mostraram que muitos deles irão  apresentar hipotiroidismo mais severo no futuro.

O  hipotiroidismo é causado principalmente por uma inflamação da tireóide, chamada Tireoidite de Hashimoto. Esta doença auto imune faz com que o próprio corpo ataque a sua tireóide.

O exame em familiares pode revelar indivíduos com doença tiroidiana pois essas doenças tendem a ser hereditárias. 

Indutor de ovulação pode agravar problemas na tireoide.

4.Aumento dos riscos de câncer nos ovários

A quarta maior causa de morte entre as mulheres deve-se ao câncer de ovário que é o mais letal tipo de câncer.
Entre as causas do Câncer de Ovário estão: Hereditariedade (responsável por 10% dos casos), fumo, consumo de bebida alcoólica e dieta rica em gorduras e utilização de medicações para infertilidade. Além disso, mulheres que nunca engravidaram têm mais chance de ter o câncer de ovário e quanto mais vezes uma mulher engravida, menor é o seu risco de desenvolver um câncer de ovário. Mulheres que já desenvolveram câncer de mama ou de intestino também têm grandes chances de desenvolver o câncer de ovário.


  • A taxa de sobrevivência é de 95% se o câncer de ovário for identificado no estágio inicial;
  • Somente 25% dos casos de câncer de ovário são diagnosticados na fase inicial;
  • Aproximadamente 78% dos pacientes com câncer de ovário sobrevivem cerca de um ano depois do diagnóstico;
  • O uso de indutores de ovulação é responsável por 5% dos casos confirmados de cancêr nos ovários e útero.
  • De 95% das pacientes que identificam sintomas do câncer de ovário antes da realização dos exames, 89% tem o diagnóstico confirmado;
  • Mais de 80% dos cistos não têm nenhuma conseqüência;
  • A utilização de pílula anticoncepcional por mais de 5 anos, diminui o risco de câncer de ovário em 60%.

5.Gravidez Anembrionaria

Quando, através de um ultrasson realizado entre as semanas sete e oito de gestação,  se verifica que o embrião não se encontra dentro do saco gestacional, encontramo-nos em presença de um ovo anembrionário. Devido a alguma causa, o embrião, que estava dentro do saco gestacional, não conseguiu continuar o seu desenvolvimento, de maneira que o ultrasson  mostra que já não se encontra lá. Esta alteração da gravidez constitui uma das formas do aborto espontâneo.


6.Gravidez Ectópica

A gravidez ectópica caracteriza-se pela implantação do óvulo fecundado fora do utero (tubas, ovários, intraligamentar e locais anômalos do útero). A incidência é de 0,3 a 3% das gestações, sendo responsável por 6 a 10% de toda a mortalidade materna. Pode causar ainda, dificuldade para nova fertilização e episódios repetidos de gravidez ectópica em até 25% das pacientes que conseguem novas gestações.
A gravidez ectópica pode evoluir para reabsorção local, abortamento espontâneo, abortamento tubário completo ou incompleto, ruptura tubária ocasionando a perda da mesma, podendo levar a abdômen agudo, choque hipovolêmico e óbito. Alcançar o termo da gravidez é raríssimo e apresenta altos índices de malformações e mortalidade.

7.O uso imprudente de indutor pode ainda causar cistos, afinamento do endométrio, traumatismo ou perda dos ovários.
Quem vai determinar se esse medicamento será o vilão ou o mocinho na sua história é você mesma. Seja prudente com sua saúde ela merece respeito e cuidados.
O uso de qualquer medicamento sem indicação  médica é arriscado e perigoso.


Remédios não devem ser tomados como aquelas balinhas coloridas que quando pequenas algumas de nós imaginavam  em suas brincadeiras que fossem pílulas que curavam tudo. Se usados de forma imprudente podem trazer mais problemas que resolve-los. Ao buscar no indutor a solução para a "infertilidade" que a grande maioria nem sabe se existe de fato, pode na verdade se tornar infértil definitivamente.


Indutor de ovulação faz mal a saúde ? 

O indutor pode se tornar prejudicial a saúde se usado de forma inadequada.


Seja responsável com a sua vida.

Auto medicação jamais.

Tatiana Costa








Compartilhar:

6 comentários:

  1. Olá, o médico me receitou tomar dois comprimido de Serophene durante 5 dias. Fico com medo, pois meu problema é aderência nas trompas e não problema de ovulação. Vocês podem me ajudar?

    ResponderExcluir
  2. Tenho hipotireoidismo. Está um pouco alta (11,180), foi aumentado a micro miligrama do me remédio hormonal.
    Meu ginecologista, mesmo sabendo que tenho hipo, me receitou o indutor. Será que engravido? Ou corro algum risco de algo?

    ResponderExcluir
  3. Tenho hipotireoidismo. Está um pouco alta (11,180), foi aumentado a micro miligrama do me remédio hormonal.
    Meu ginecologista, mesmo sabendo que tenho hipo, me receitou o indutor. Será que engravido? Ou corro algum risco de algo?

    ResponderExcluir
  4. Tive uma gravidez ectópica,fazendo tratamento com Clomid ,eu estava com dois meses gravidez foi a pior dor da minha vida,retirei uma trompa.pior que eu só óvulo com esse comprimido,sinto medo de voltar a tentar e a história se repetir.

    ResponderExcluir
  5. Essa é meu email.anaileperira86@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Essa é meu email.anaileperira86@hotmail.com

    ResponderExcluir