Ovários policísticos causam infertilidade?


Ovários policísticos causam infertilidade?


A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é uma desordem de origem endócrina, relativamente comum e que, de modo geral, afeta mulheres em idade reprodutiva. Vale dizer que quando acompanhada pelo médico, não é uma doença grave.

Qualquer mulher pode ter um ou mais cistos nos ovários, mas nem todas são portadores da SOP. Na maioria das vezes, esses cistos não têm importância clínica, pois a própria ovulação corresponde à ruptura de um cisto. Portanto, dependendo da época em que a ultra-sonografia for feita, é possível visualizar um cisto fisiológico no ovário.


Vamos entender o que acontece


Ainda não se sabe, com certeza, porque a doença se desenvolve. Uma hipótese seria a alteração do açúcar (glicose), que não conseguiria ser metabolizado numa velocidade normal pela insulina, fazendo com que o pâncreas produzisse mais insulina. Este aumento levaria a uma maior produção de hormônios masculinos pelos ovários e esses hormônios, por sua vez, aumentariam a liberação de LH (hormônio luiteinizante) que é produzido pela hipófise para estimular os ovários. 


Fique de olho nos sintomas


 Menstruação irregular: o ciclo menstrual depende do ciclo dos hormônios. Se os hormônios estão sendo produzidos de maneira irregular, a menstruação também será irregular. 

Infertilidade: para que ocorra a ovulação, todos os hormônios devem ser produzidos de maneira uniforme e harmônica. Se isso não acontece, não há ovulação, e se não existe ovulação, não há gravidez. 

Problemas de pele: uma das causas da SOP seria uma excessiva produção de hormônio masculino (testosterona), decorrente de um estímulo maior da insulina. Se os hormônios masculinos aumentam, há uma ação maior sobre a pele, acarretando maior oleosidade, acne e pêlos. 

Obesidade: mais uma vez o açúcar é o vilão. Como não está sendo metabolizado corretamente, há um excesso que leva a mulher a engordar além do esperado. 


Perigos para a saúde


Os pequenos cistos não costumam ser maiores que 8mm detectados em ovários policísticos, normalmente, não se tornam maiores; na realidade, sofrem uma involução e são substituídos por outros similares. 

Hoje em dia, a cirurgia é contra-indicada, principalmente se a opção for por laparatomia operação tradicional, feita com corte na barriga. Só quando um cisto ovariano tem um crescimento anormal (maior que 6cm) e não cede com a medicação específica, indica-se a cirurgia, de preferência, a vídeo cirurgia. 

Mulheres obesas com ovários policísticos sofrem maior risco de diabetes e hipertensão arterial. Uma dieta bem controlada junto a uma atividade física diminui esses riscos porque a gordura transforma o hormônio masculino em hormônio feminino. Esta concentração maior de hormônio feminino implica em um maior descontrole hormonal dos ovários. Quando há perda de peso e, conseqüentemente, de gordura, o ciclo vicioso é quebrado e o ciclo hormonal fisiológico tende a voltar.


Diagnóstico e tratamento


O diagnóstico da SOP é feito através da ultra-sonografia e da dosagem hormonal, mas, em determinadas situações, apenas um desses exames é suficiente. 

O tratamento vai depender do desejo e dos sintomas da paciente. Quando não se quer engravidar, a melhor opção é o uso de anticoncepcional oral, que bloqueia a função irregular do ovário, ao mesmo tempo em que impede a ação dos hormônios masculinos (que geralmente estão aumentados) sobre a pele, o que ocasiona acne e pêlos.

Nas pacientes sem atividade sexual e que não desejam tomar pílula, a opção é usar um prostágeno (progesterona) na segunda fase do ciclo. Isso não só para mantê-lo regular, como também para proteger o útero da ação irregular do estrogênio sem a oposição da progesterona, que normalmente só é produzida após a ovulação. 


Para quem quer engravidar


Quando há o desejo de gravidez, indica-se os indutores de ovulação e entre esses o citrato de clomifeno é a primeira opção. É de fundamental importância fazer uma ultra-sonografia pélvica para o estudo dos ovários antes do início do uso de qualquer indutor de ovulação, para evitar o risco de hiperestimulação. Como o uso destas substâncias acarreta um aumento do número de folículos (óvulos) estimulados, há também o risco de gestação múltipla.

Atenção!
Além do tratamento medicamentoso, a perda de peso no caso das gordinhas é fundamental para o reequilíbrio do ciclo hormonal.


Outros fatores que podem impedir a ovulação


Apesar da SOP ser a maior causa da anovulação (falta de ovulação), outras situações podem levar a este problema:

Atividade física excessiva;
falência ovariana precoce;
tumor benigno da hipófise;
alterações da tireóide (hiper ou hipotireoidismo);
transtornos alimentares;
doenças das glândulas supra-renais;
tumores de ovário;
aumento da produção do hormônio prolactina (uso de medicamentos, alterações na tireóide, tumores na hipófise).



Maria Amélia de Oliveira 
Consultoria: Dr. Carlos Dale, ginecologista e obstetra. Chefe do Serviço de Videolaparoscopia do Instituto Fernandes Figueira/RJ
Compartilhar:
Tentando Engravidar ? Guia completo com o passo a passo para engravidar em 4 semanas

0 comentários:

Postar um comentário