terça-feira, março 29, 2016

Consumo de cafeína aumenta em 25% as chaces de aborto espontâneo



A revista americana "Fertility and Sterility", divulgou na última quinta (24/03/2016) um estudo que diz que mulheres que costumam tomar mais de duas xícaras de cafeína por dia nas primeiras semanas de gestação correm maior risco de aborto espontâneo.  

A pesquisa  que foi realizada pelo Instituto Nacional de Saúde (NIH) e pela Universidade Estatal de Ohio, que se baseou numa pesquisa de fertilidade do longitudinal e o do meio ambiente. Além de determinar a contribuição do café para o aborto, descobriu-se também  que as taxas de aborto espontâneo são menores em mulheres que tomam regularmente suas vitaminas do pré natal desde  antes da ocorrência de gravidez.

Vitaminas pré natais ajudam a engravidar e evitam aborto 


O estudo feito com  501 casais do Texas e Michigane  entre 2005 e 2009, observou o estilo de vida e a exposição desses casais a produtos químicos, cigarro, bebidas com cafeína e o uso de polivitamínicos desde as  tentativas para engravidar. 

Destes, 344 casos de mulheres grávidas foram registrados e 28% dessas gestações foram interrompidas ainda nas primeiras semanas.

Os hábitos paternos também são importantes para a saúde do embrião


O estudo ainda reforça a importância do cuidado com a saúde do homem que também deve evitar se expor a hábitos que tragam riscos a fertilidade.

Os especialistas afirmam que os índices de aborto espontâneo estão associado ao consumo de cafeína não só pela mãe, mas também pelo pai.

É importante que hábitos saudáveis sejam adotados desde o momento que a concepção passe a ser  um desejo do casal. Os hábitos paternos não influenciam apenas na qualidade e quantidade dos espermatozoides como também na saúde do embrião que será gerado.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Compartilhar: