segunda-feira, julho 08, 2013

Se ovulei porque não engravidei ?

Quando decidimos engravidar, procuramos nos inteirar de tudo  que povoa esse mundo de possibilidades, e uma das primeiras informações importantes que registramos é que sem ovulação não existe gravidez.
Já falamos algumas vezes sobre isso aqui no blog, mas é importante que todas saibam como tudo acontece.

Assim que menstruamos, já no primeiro dia de sangramento, inicia-se um novo ciclo e consequentemente um novo mês de tentativas. 

O primeiro hormônio a fazer parte desse show da natureza é o FSH. Secretado pela hipófise, ele estimula o crescimento dos chamados folículos (as casinhas que abrigam os óvulos). 

Um desses folículos, se desenvolve mais que os outros, é o chamado folículo
dominante e é ele que libertará o óvulo. Nesse momento acontece o aumento da produção de estrógeno (produzido pelo folículo)fazendo com que a produção de FSH cesse. Com isso,  os demais folículos param de amadurecer e regridem.

O estrógeno passa a ser liberado em doses mais elevadas. Além do estrógeno ser o primeiro hormônio a preparar o endométrio, contribuindo para a espessura ideal,  esse hormônio age estimulando a produção de um outro hormônio, o LH , que é o responsável pela liberação do óvulo pelo folículo. O folículo eclode o óvulo que por sua vez é captado pela trompa, que conduz o óvulo, fecundado ou não, até o útero. 
Enquanto isso no ovário, forma-se uma cicatriz chamada de corpo lúteo, que fica no local onde houve a liberação do óvulo.

O corpo lúteo é estimulado pelo LH, a produzir progesterona. A progesterona é responsável por deixar o endométrio propício a implantação do embrião, irrigando mais vasos, mantendo-o mais firme, espesso e estável.




É durante o trajeto pelas trompas que o óvulo fecundado, passa pela divisão celular. Esse é um momento muito importante, pois qualquer erro, falha ou problema, pode impedir a gravidez de acontecer. Se esse óvulo, não for um óvulo "bom", que forme um embrião perfeito, o organismo trabalha para eliminar o que ele considera uma ameaça, e ao chegar no útero, esse óvulo nem consegue se implantar. Acontecendo nos próximos dias, uma nova menstruação. 



Analise tudo o que foi informado à cima. São muitas informações diferentes, e demonstram o importante papel de cada hormônio envolvido no processo. Agora imagine que um único hormônio não consiga desempenhar com perfeição seu papel, o que pode acontecer ? Na verdade, o que acaba não acontecendo é a gravidez. 

Se o óvulo ou o espermatozoide não tinha uma boa qualidade, fatalmente poderá resultar numa má divisão celular.


A liberação deficiente de progesterona também pode ser uma das vilãs da sua falta de sucesso.

Costumo dizer que esse processo todo, é como uma apresentação de ballet, se um dos envolvidos erra o passo ou sai fora da marcação, o espetáculo não alcança o sucesso esperado. 

Muitas outras causas, podem ser a responsáveis pela falta de sucesso . 
Enfermidades ainda desconhecidas pelo casal, ansiedade, vícios, ingestão exagerada de café ( prejudica a fertilidade de homens e mulheres), distúrbios hormonais passageiros,  uma baixa qualidade de espermatozoides e óvulos entre outros. 



Tenho certeza que ovulei e mesmo assim não engravidei


O simples fato de  ovular, não é garantia de gravidez. 

Sei que é complicado receber uma informação assim, até porque muitas mulheres com dificuldade para ovular hoje, se empenham em sofridos tratamentos   e tem como certa sua vitória no momento em que o médico informa que a ovulação está ocorrendo normalmente, mas nem sempre é assim que acontece. A verdade é que fecundar não é o mais difícil para a grande maioria, complicado mesmo são os processos que vem após a fecundação. 


A idade, principalmente da mulher, influencia bastante nesse momento. Veja a tabela a seguir :


CHANCES DE UMA MULHER ENGRAVIDAR NATURALMENTE APÓS 1 ANO DE TENTATIVAS:
Até 25 anos: 75%
De 26 a 30 anos: 65%
De 31 a 35 anos: 50%
De 36 a 40 anos: 12%
De 41 a 42 anos: 8%
De 43 a 45 anos: 1%


Fonte: Organização Mundial da Saúde (OMS)



Cuidar do corpo e da mente é muito importante. Manter as consultas com o especialista em dia, é fundamental. É ele quem vai te conduzir ao próximo passo que te deixará mais perto do sucesso. Manter uma alimentação adequada, começar a tomar o ácido fólico assim que decidir engravidar, pode ser um fator decisivo para fertilidade e o sucesso do casal. Manter a ansiedade controlada(como se fosse fácil) é importante. A ansiedade tem agido negativamente na vida de muitas de nós, sem que isso seja percebido ou mesmo aceito como verdade.


Não existem verdades absolutas, as razões para a dificuldade de uma, não são as mesmas para a dificuldade da outra, por isso o médico tem papel importante nessa busca. Ter um médico de confiança e que mostre empenho em encontrar respostas é muito importante. 


Pé no chão e esperança no coração !

Tatiana da Costa 

Compartilhar: