quarta-feira, fevereiro 20, 2013

Clamídia - Sintomas, Tratamento e Infertilidade

causas, sintomas e tratamento de clamídia


O que é Clamídia?



Clamídia é uma doença sexualmente transmissível causada pela bactéria Chlamydia trachomatist, transmitida por contato sexual (vaginal, anal e oral) e também de mãe para filho no momento do parto. 


Sintomas de Clamídia





Clamídia é uma doença  silenciosa, em 80% dos casos não há sintomas.

Nos 20% restantes, as mulheres podem apresentar corrimento, febre, cansaço, dores durante a relação sexual, dor e ardência ao urinar e sangramentos esporádicos. 
Nos homens, 30 % apresentam sintomas como dor e ardência ao urinar, saída de secreção purulenta pela uretra, inchaço e dor nos testículos e para homossexuais passivos, proctite (inflamação no ânus).
Para os que desenvolvem sintomas , estes podem ser sentidos de 2 a 3 semanas após a contaminação.


Como diagnosticar a Clamídia?


Não é detectada através do papanicolau. Para diagnostica-la é necessário um exame específico realizado através da coleta de urina ou material colhido no colo do útero da mulher e  na uretra masculina .

Tratamento


É feito através de antibióticos e tem ótima resposta. 
Não existe uma vacina para clamídia , por isso é possível ser infectado mais de uma vez por essa bactéria. A única prevenção é através de preservativos.
O tratamento dura em média 10 dias, e relações sexuais devem ser evitadas durante esse período.

Consequências da Clamídia


Clamídia pode causar infertilidade?



As consequências mais graves, normalmente ocorrem em pacientes com pouco ou nenhum sintoma da doença. Isso porque demoram a procurar tratamento  justamente por  não saber que algo está errado.


Nos homens, a bactéria pode causar inflamações nos ductos que coletam e armazenam os espermatozoides produzidos pelo testículo, essa inflamação é capaz de promover obstruções que impedem a passagem dos espermatozoides. 




Nas mulheres a principal complicação é a progressão da bactéria em direção ao útero, trompas e ovários, causando DIP ( doença inflamatória pélvica) que pode levar a infertilidade quando não tratada a tempo.

A DIP  pode obstruir as trompas impedindo  o encontro do óvulo com o espermatozoide, ou então dar origem à gravidez tubária (ectópica). Ao impossibilitar o óvulo fecundado de prosseguir até o útero, o embrião passa a se desenvolver na trompa que por sua vez pode romper. Além de fazer do útero um local inóspito, muitas vezes por causa do líquido infeccioso que se mantem alojado em seu interior.


Mulheres infectadas pela Chlamyda trachomatis durante a gestação estão mais sujeitas a partos prematuros e a abortos. No parto natural, ao passar 

pelo canal vaginal , ao ter  contato com a vagina infectada, o recém-nascido corre o risco de desenvolver um tipo de conjuntivite (oftalmia neonatal) que pode levar a cegueira e pode também desenvolver pneumonia. 
Além de que mulheres portadoras dessa enfermidade tem 6 vezes mais chance de desenvolver câncer no colo do útero.


Mulheres que passaram por 2 ou mais abortos, devem fazer o exame antes de tentar uma nova gestação.



É sempre bom conversar com seu ginecologista e fazer o exame para clamídia pelo menos uma vez por ano,no caso de não se ter um parceiro fixo. 
Existe um teste de clamídia que pode ser comprado e feito em casa , sem precisar colher material do útero. Você encontra normalmente disponível em sites na internet.

Pé no chão e esperança no coração !
Tatiana da Costa 

Compartilhar: