quarta-feira, junho 13, 2012

Mundo cor de rosa

Como seria bom viver em um  mundo cor de rosa, onde tudo desse certo sempre  e todos os nossos sonhos se realizassem .
Um mundo onde a realidade não se atirasse sobre você a cada segundo do seu dia, te fazendo lembrar da tua impossibilidade de realizar aquilo que falta para te completar.
Um mundo onde tudo fosse possível sendo a sua vontade o único fator necessário para o irreal deixar de existir.
Mas esse tal mundo cor de rosa não existe para os lúcidos.


Lucidez é algo difícil de se administrar. Necessária e cruel  ao mesmo tempo, não nos permite ver os fatos com outros olhos. Olhos necessários para que a esperança não desapareça. Olhos necessários para que o difícil, mesmo  que intocável, seja possível em algum momento.
Ser lúcido é ser consciente, é ter total consciência do que te cerca e de como tudo acontece de verdade. É como acender um farolete na escuridão. É a luz que te cega.

A lucidez é aquela luz tão clara que ao invés de te permitir enxergar o caminho, te faz dar passos temerosos e cegos em meio a claridade absoluta.

Como aprender a lidar com a impossibilidade  de acreditar nas mentiras necessárias. Sim , algumas mentiras são necessárias para  que possamos seguir sem enlouquecer. Não se permitir olhar para trás para não reviver todo o fracasso e angústia de outrora.

São nesses momentos que entendo a necessidade de uma mentirinha bem contada. Um "tudo vai dar certo, não se preocupe" na hora certa faz milagres. 

Por alguns segundos até acreditamos que tudo ficará bem mesmo, que o mundo é de fato cor de rosa e que amanhã tudo pode ser diferente. E de fato pode, as coisas mudam tão rápido. Os  anos passam tão rapidamente diante de nossos olhos. A rotina louca que nos toma nos ilude a ponto de acreditarmos que amanhã tudo vai ser igual. E esse igual é que machuca.

O que fazer com os sonhos que não se apagam, mas que também não se realizam? O que fazer com essa total consciência de que talvez seja preciso admitir que podem nunca se realizar?
Viver de "se" é cruel. Se isso não tivesse sido assim , se aquilo fosse melhor elaborado, se fosse antes. E se ao invés de ter esperança eu parar de me iludir e mudar o foco do meu objetivo? 
E se ao invés de crer cegamente e deixar tudo com Deus , eu me mexer e tentar fazer a minha parte?
Talvez seja isso que falte para muitas de nós. A fé cega e inabalável nem sempre nos faz bem. Muitas vezes nos acomoda diante das dificuldades. Muito fácil esperar que Deus resolva tudo com sua onipotência. Estamos aqui para que então? O que fazemos com essas lições que achamos vivenciar todos os dias?

Talvez seja o momento de admitir que essa força que vem dentro nem sempre consegue nos impulsionar para frente. As vezes nos faz insistir em algo que não tem a menor chance de dar certo.
Não caminhe cega dentro da claridade absoluta. Nem sempre o que acreditamos enxergar é de fato a real face da história.
Esperança sempre, insistência cega, jamais !

Tatiana da Costa

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário