quarta-feira, maio 05, 2010

Maternidade

Pouco do real e muito literal
Ontem menina filha
Hoje mulher e mãe, natural
Tempo se passa sem que se colha

Passado tempo que carrega no ventre
Esforço diário de sustento
Real seria todo bom sentimento
Se houvesses em cada momento

Passada a filha, veio a mulher
Que altiva luta por sua vida
Propondo-se a fazer tudo que possa ter
Até mesmo o chamar de querida

Em esforço vê seus passos
Passos de outras como ela
Como tantas que caem em falso
Sem contar sequer com aceno em janela

Vida dura, boa era a menina
Infância sofrida mas melhor vivida
Quantas dores pode segurar um coração?
Sem que nisso se exploda então?

Mesmo em dores ,mesmo em pranto
Percebo que mais e mais mulheres são mães
Guardam o mister sagrado como um manto
Sofrendo e chorando, esse é seu alegre canto.

J Neto 30/06/09

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário